Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 14 de Junho de 2024

Sidrolandia

A briga Barrichello x Schumacher

O que ficou para a posteridade mesmo foi a esperada briga entre Michael Schumacher e Rubens Barrichello, eternos desafetos.

Uol

02 de Agosto de 2010 - 15:15

O GP da Hungria é um interessante paradoxo. Apesar do traçado ser propício para falta de ultrapassagens, é justamente lá que ocorreram algumas das melhores da história da Fórmula 1. Na edição 2010, sem muitas surpresas para o erro de Sebastian Vettel (sempre há algum, toda corrida), inclusive. O que ficou para a posteridade mesmo foi a esperada briga entre Michael Schumacher e Rubens Barrichello, eternos desafetos.

Schumacher é, como dizem em inglês, "old school". De outra geração, tem em suas influências pilotos bem diferentes dos atuais. Tem em sua carreira uma enorme série de polêmicas. Muitas vezes, para ser campeão (ou tentar), ultrapassou diversos valores questionáveis, que mexem com ética e moral. Mas, ainda assim, nunca arredou o pé. Faz parte de sua personalidade, certa ou errada.

Rubens Barrichello sempre pilotou bem por qualquer equipe onde passou. Mas também adora dar declarações impensadas. E agora, após a manobra ousada da Hungria em que quase foi parar no muro tentando passar o alemão, passa o dia dando cutucadas no rival.

Falar da briga Schumacher x Barrichello não é como Senna x Prost, Mansell x Piquet, ou qualquer outra clássica rivalidade. Nesses casos, havia um respeito, mesmo que mínimo em algumas ocasiões. Havia a essência da velocidade: chegar na frente. No caso de Rubinho e do alemão, existe um grande rancor, mágoa, humilhação, chacota, manobras sujas e politicagem. Chega a quase uma inimizade. Só que, no fim das contas, Schumacher é o heptacampeão, enquanto Barrichello segue sendo, na Fórmula 1, um lutador, e nada mais.

A crítica – brasileira, em especial – adorou falar mal da manobra de Michael Schumacher contra Rubens Barrichello. Eu acho que ele exagerou – mas ele sempre exagerou, em toda a sua carreira. Ultrapassar Schumacher nunca foi fácil. E nunca será. Agora em que o alemão está um pouco enferrujado e a bordo de um carro limitado, muitos condutores mais jovens vibram por ultrapassar alguém considerado um gênio das pistas.

Acontece que Schumacher deixou, na pista, o espaço exato para que coubesse uma Williams ao lado dele e colada ao muro. Barrichello foi brilhante e conseguiu deixar seu carro naquele espaço. Uma ultrapassagem épica, corajosa, digna de dois grandes pilotos. A punição deveria existir? Talvez. Mas isso nunca impediu Schumacher de fazer a mesma coisa na corrida seguinte.

E o que eu acho disso tudo? Bem, eu sendo um fã de Ayrton Senna, torço para que o alemão continue criando polêmicas como essas.

Reta oposta

Massa x Alonso

Felipe Massa tinha a oportunidade de calar a boca da imprensa chegando à frente de Fernando Alonso na Hungria. Não conseguiu, ficando sempre meio segundo atrás do companheiro o fim de semana todo – cena que se repete o ano inteiro. Ele ainda não é segundo piloto?

Dicção
Ainda sobre Massa, seria altamente recomendável ele participar de algumas sessões de fonoaudiologia ou algo similar. O brasileiro tem claros problemas para formular suas frases, organizar seus pensamentos, sem mencionar os erros de concordância e frases sem sentido.

Webber
Está com cara de campeão o australiano, ainda mais diante de uma apagada McLaren nas últimas provas...