Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 14 de Junho de 2024

Sidrolandia

A ‘energia’ onde tudo começou

Presidente leva sua candidata para comício e corpo a corpo no ABC paulista e diz para Dilma se inspirar no berço do PT

O Dia Online

24 de Agosto de 2010 - 08:10

De mãos dadas com sua candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou ontem ao ABC paulista, onde começou sua trajetória política como sindicalista no movimento que criou o Partido dos Trabalhadores. Às 5h30 da manhã, horário em que os operários começam o trabalho, o ex-metalúrgico levou sua ex-ministra para “pegar energia onde tudo começou”.

A ideia do presidente era fazer um corpo a corpo de fato na entrada da fábrica da Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo (SP). No entanto, havia um carro de som no estacionamento para que ele e Dilma discursassem. O presidente reclamou. Preferia estar no meio dos trabalhadores:

"Foi armada uma estrutura de comício, mas a ideia era mais simples, era apertar a mão de cada um na chegada. Não é sempre que uma presidente da República pode vir aqui”, disse, levantando o braço de Dilma. “Depois, vamos descer”.

No meio dos trabalhadores, Lula reconheceu o sindicalista Zé do Mato, “amigo dos tempos das greves no ABC”.

"Está vendo aquele companheiro careca?”, perguntou à candidata. “De vez em quando, ele queria me mandar uma galinha d'angola que nem podia andar, de tanta fome!”

No discurso, Lula chegou a afirmar que será um “ajudante” de Dilma, caso ela assuma o Palácio do Planalto em janeiro. “Não serei apenas seu ajudante, mas vou ajudar o pessoal (dos sindicatos) a telefonar: Presidente, lembra daquela promessa na porta da fábrica, às 6h da manhã?”, disse, referindo-se às promessas feitas por Dilma diante de cerca de 5 mil trabalhadores: geração de mais emprego, valorização do salário mínimo e mais investimento em educação, para ampliar as oportunidades de “filhos e filhas de trabalhadores”.

Ansioso para descer do carro de som, Lula encerrou o discurso com a frase: “Tenho a convicção de que, se Deus está conosco, quem está contra nós?”. Já no chão, o presidente distribuiu panfletos e colou adesivos da campanha de Dilma nos uniformes dos operários.

Além de Dilma, Lula estava acompanhado da mulher, Marisa Letícia, dos candidatos do PT ao Senado, Marta Suplicy, e ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante.

No fim da manhã, Dilma foi à unidade mais antiga do Senai em São Paulo, onde Lula aprendeu a profissão de torneiro mecânico, em 1963.

BERÇO POLÍTICO

São Bernardo do Campo é o berço do Lula político. Lá, em 1975, ele foi eleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e liderou as grandes greves de 1978 que reivindicavam, ao governo da ditadura, correção salarial. Durante o movimento grevista, a ideia de fundar um partido representante dos trabalhadores amadureceu. Em 1980, Lula juntou-se a sindicalistas, intelectuais, católicos militantes da Teologia da Libertação e artistas para formar o PT.