Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Sidrolandia

A farsa do DEM , aliado so SERRA PSDB

Com traço nas pesquisas quanto à sua potencialidade eleitoral e ameaçado de desaparecer nas urnas de outubro, o DEM tenta associar-se a lei da Ficha Limpa e agora inventou o conto da expulsão - a cada filiado seu denunciado em escândalo de corrupção, fraude, propina ou outras irregularidades e crimes o partido anuncia que vai expulsá-lo. Periga não conseguir vencer o trabalho...

blog zé

22 de Julho de 2010 - 13:50


O último apanhado nessa situação é Selmo Santos, um dos 30 candidatos a deputado federal da chapa do DEM na coligação paulista PSDB-DEM-PPS de apoio às candidaturas de José Serra a presidência da República e de Geraldo Alckmin ao governo de São Paulo. Selmo fez o registro de sua candidatura de dentro da cadeia, onde cumpre pena condenado em um dos dois processos a que responde por estelionato. Além desses, ele é réu na justiça em mais duas ações, uma por falsidade ideológica na Justiça Federal, e outra por ter sido preso por tráfico de drogas em 2004. A história do candidato a deputado federal pelo DEM paulista mais parece um prontuário policial do que uma biografia.

Ele declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 91,6 milhões, mas a Folha de s.Paulo descobriu que mora num casebre na periferia paulistana e que entre seus bens estão relacionados participação de R$ 80 milhões no Centro Universitário Livre do Meio Ambiente (UNILMA), uma universidade que não existe. Selmo responde, ainda, a outros dois processos porque a Polícia Civil de São Paulo encontrou indícios de lavagem de dinheiro na UNILMA e repassou o caso à Polícia Federal.


Usava universidade para lavagem de dinheiro


Como é que o partido aceitou um candidato sem sequer olhar, por exemplo, sua ficha e declaração de renda e bens? Porque não olhou a de ninguém. Isso, em se tratando do DEM repete-se em todo Brasil. Mas, a desculpa de que não olhou a declaração é falsa, o candidato era mais do que conhecido e ligado a cúpula do  DEM. Agora, mesmo atrás das grades, ele não pode ser impugnado com base na Lei da Ficha Limpa porque não há sentença com trânsito em julgado (sem possibilidade de recurso) ou condenação por decisão colegiada.

Depois do escândalo do DEM-Brasília, onde seu único governador no país, José Roberto Arruda, ficou dois meses preso em celas da Polícia Federal ()PF) acusado de pagar propinas, o partido inventou esse conto da expulsão. Mas, lá em Brasília todos são de novo candidatos, escondidos em outras siglas em aliança com o DEM e apoiando a candidatura de Joaquim Roriz (PSC) a governador do Distrito Federal.

E a gente ainda tem de acompanhar esse conto demo da expulsão - agora a de Selmo Santos. O DEM paulista anunciou que começou ontem a analisar a possibilidade de sua expulsão. E temos de ouvir, também, explicações como essas do presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ): "Esses casos ocorrem. O importante é a reação que se tem a partir de casos como esse. No nosso caso, o problema tem início, meio e fim. Em outros partidos, não."