Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 19 de Abril de 2021

Sidrolandia

Acadêmicos da UEMS de Glória de Dourados divulgam o setor sucroenergético

A Extensão é uma das funções sociais da Universidade, realizada por meio de um conjunto de ações dirigidas à sociedade

UEMS

10 de Novembro de 2014 - 07:33

A unidade da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) de Glória de Dourados, por meio do núcleo de Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proec), está promovendo o projeto de extensão intitulado “A divulgação do setor sucroenergético por meio da produção de biogás, em microbiodigestores de PVC a partir dos resíduos gerados”, em nove escolas da região.

Ao longo de um ano, de agosto de 2014 a agosto de 2015, a equipe formada por três acadêmicos e um  professor do Curso de Tecnologia em Produção Sucroalcooleira  estão visitando várias escolas da região com o intuito de levar os conhecimentos adquiridos em sala de aula aos alunos do ensino médio das redes públicas.

Os alunos do Curso de Tecnologia em Produção Sucroalcooleira da UEMS Campus de Glória de Dourados foram selecionados de acordo com regras internas estabelecidas pela Universidade. Ao todo, foram selecionados três acadêmicos para fazer parte do Pibex (Programa Institucional de Bolsas de Extensão), orientados por um professor da Universidade. As capacitações serão realizadas por meio de palestras ministradas pelos alunos bolsistas e coordenada por um professor aos alunos do Ensino Médio das regiões próximas ao município de Glória de Dourados.

Para o coordenador, professor José Evaristo Gonçalves, os projetos de extensão tornam-se necessários à Universidade, principalmente pelo fato de apresentar os cursos e as linhas de pesquisa oferecidos pela UEMS à comunidade externa e aos alunos do ensino médio.

“Paralelo a isso vejo o quanto cada um dos bolsistas têm melhorado em cada uma das estâncias que contemplam o curso de graduação. Espero que as ansiedades e prospecções de cada extensionista sejam alcançadas mais rapidamente a partir da evolução obtida com a concretização desse projeto”, disse.

O acadêmico Douglas Rafael Fernandes Araujo, que participa do trabalho, vê a extensão como uma forma de aliar o conhecimento científico ao conhecimento prático, tornando-o visível e palpável à sociedade. “Durante a execução do projeto fiz um parâmetro, tentando analisar as mudanças que nós alunos obtivemos desde de quando iniciamos o projeto e como estamos agora, sinto que houve evolução de cada integrante”, percebeu.

A aluna Beatriz Pereira Melo ressaltou que o projeto de extensão a ajudou na evolução pessoal e acadêmica “a partir da apresentação do conteúdo proposto no projeto ‘A educação ambiental em escolas do ensino médio a partir da utilização da vinhaça, como substrato para geração de biogás’, de forma a me fortalecer em outras atividades que exijam oratórias e espírito de equipe”.

Para o acadêmico Daniel Fernandes da Silva, trabalhar como extensionista é algo muito importante, “uma vez que a extensão aproxima a Universidade da sociedade, sendo uma ferramenta indispensável à evolução dos acadêmicos bolsistas e à resolução de novas problemáticas ambientais e técnico-científicas”.

A Extensão é uma das funções sociais da Universidade, realizada por meio de um conjunto de ações dirigidas à sociedade, as quais devem estar indissociavelmente vinculadas ao Ensino e à Pesquisa. Num âmbito geral, sua finalidade é a promoção e o desenvolvimento do bem-estar físico, espiritual e social, a promoção e a garantia dos valores democráticos de igualdade de direitos e de participação, o respeito à pessoa e à sustentabilidade das intervenções no ambiente.