Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Água da Rodoviária de Dourados está contaminada com óleo diesel e lubrificantes

A constatação foi feita pelo Departamento de Vigilância Sanitária que recomendou a interdição do poço artesiano que abastece a rodoviária há mais de dois anos

Midiamax

15 de Abril de 2011 - 17:11

Os passageiros, taxistas, mototaxistas, camelôs e funcionários do Terminal Rodoviário de Dourados estão sendo obrigados a beber água contaminada com óleo diesel e lubrificantes.

A constatação foi feita pelo Departamento de Vigilância Sanitária que recomendou a interdição do poço artesiano que abastece a rodoviária há mais de dois anos.

O Terminal Rodoviário é abastecido pela água sem tratamento bombeada de um poço artesiano perfurado há mais de dois anos ainda na administração do ex-prefeito Laerte Tetila (PT), como única forma encontrada para garantir água para passageiros e demais usuários do local.

Uma das alegações para a construção do poço é a de que a água da Sanesul não tinha forças para chegar até a caixa d’água do Terminal. Por causa disso, naquela época a Prefeitura determinou o desligamento do hidrômetro da Sanesul.

O fiscal da Vigilância Sanitária, Valdir Sader Gasparotto afirmou que é sentido no paladar o gosto de combustíveis a base de hidrocarbonetos na água da Rodoviária. O IMAM (Instituto de Meio Ambiente de Dourados) também notificou a rodoviária para resolver o problema.

O administrador do Terminal, Nelson Azambuja Almirão afirmou que o problema já está sendo resolvido. Segundo ele, o poço será isolado e a Sanesul voltará a fornecer água para a rodoviária. “Os funcionários da Sanesul já estão trabalhando para fazer a água chegar à caixa”, disse Almirão.

O Terminal Rodoviário de Dourados foi construído em 1982 numa área repleta de nascentes que dão origem lago do Parque Anulpho Fioravante e ao córrego Rego D’água que corta a cidade no sentido norte-sul.

Acontece que nas proximidades da rodoviária há mais de quarenta anos funcionam oficinas mecânicas, postos de gasolina e a garagem da Viação Motta. Neste local existem há décadas tanques de combustíveis enterrados no chão e já desativados o que pode ter contribuído para o vazamento de óleos e contaminado o lençol freático.

Recentemente operários de uma empreiteira que trabalham na reforma do prédio da Câmara Municipal, próximo ao Terminal encontraram em escavações grande quantidade de óleo no subsolo e a Vigilância Sanitária acredita que toda a região esteja contaminada com restos de hidrocarbonetos.

Gasparotto afirmou que foram coletadas amostras da água para fazer exames mas é visível a contaminação da água consumida pelas pessoas que circulam pelo Terminal Rodoviário.
Mesmo com a interdição do povo e a notificação para que o Terminal Rodoviário religue a água tratada fornecida pela Sanesul, os passageiros continuam bebendo a água sem saber se ela é própria para o consumo humano.

Um mototaxista disse que está sentindo dores estomacais há duas semanais e depois que soube que a água está contaminada os sintomas começaram a desaparecer.