Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Fevereiro de 2024

Sidrolandia

Ambientalistas distribuem mudas de plantas no Dia Mundial do Meio Ambiente

Marcos Tomé/Região News

05 de Junho de 2011 - 22:15

Ambientalistas distribuem mudas de plantas no Dia Mundial do Meio Ambiente
Ambientalistas distribuem mudas de plantas no Dia Mundial do Meio Ambiente - Foto: Marcos Tom

Dezenas de pessoas receberam da A.S.O.A (Associação Sidrolandense de Orquidofilia e Ambientalismo), mudas de plantas nativas em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado neste domingo (5). Marcos Zorzeto e Zoé Prates Silvério, presidente e vice-presidente respectivamente da associação, estiveram presentes no ato transcorrido na Praça Porfírio de Brito no centro de Sidrolândia.

O município que é detentor da 5ª economia do Estado de Mato Grosso do Sul já ocupa lugar de destaque no cenário estadual envolvendo a preservação ambiental. Com sua economia solidificada no agronegócio, Sidrolândia tem buscado alternativas de plantio e principalmente, reflorestamento para contribuir com o meio ambiente.

Para Zoé Prates, médico veterinário e ambientalista, a conscientização das pessoas para os cuidados com a preservação é fundamental para que haja recuperação e preservação ambiental. Alguns dos principais esforços em relação ao Dia do Meio Ambiente são:

Mostrar o lado humano das questões ambientais;

Capacitar as pessoas a se tornarem agentes ativos do desenvolvimento sustentável;

Promover a compreensão de que é fundamental que comunidades e indivíduos mudem atitudes em relação ao uso dos recursos e das questões ambientais;

Advogar parcerias para garantir que todas as nações e povos desfrutem um futuro mais seguro e mais próspero.

ESTADO

O Estado é tradicional produtor de carne e soja, com aproximadamente 400 mil hectares de florestas plantadas, lidera o processo de expansão no Brasil. Isso se deve a política do governo do Estado, que criou o Plano Estadual para o Desenvolvimento Sustentável de Florestas Plantadas, lançado em 2009. Além de baratear a produção, evitar o desmatamento e preencher campos já devastados, as áreas reflorestadas também colaboram para minimizar o aquecimento global.

Um ano depois, os reflexos dos incentivos a este tipo de cultura no Estado já são expressivos. Em 2010, Mato Grosso do Sul aumentou 30% sua área plantada em relação ao ano anterior. Em segundo lugar ficou Maranhão, que cresceu 10,2%, seguido por  Tocantins, com 7,2%.

Os dados são da Associação Brasileira dos Produtores de Florestas Plantadas (Abraf) divulgados no recém lançado anuário estatístico que toma como base o ano de 2010. No levantamento, Mato Grosso do Sul aparece com 378.195 hectares de eucalipto e 13.857 hectares de pinus, totalizando 392.052 hectares de florestas plantadas. Desde 2006, quando o anuário começou a ser elaborado, o crescimento da área plantada no estado foi de 300%.

A oferta desta matéria-prima foi essencial para atrair a Fibria em Três Lagoas, uma das maiores plantas industriais de celulose do mundo, produzindo 1,3 milhão de toneladas de celulose por ano. Também já foi iniciada a construção da Eldorado Celulose, que prevê produção de 1,5 milhão de toneladas por ano.

O plantio de eucalipto e do pinus, respeitando o correto manejo florestal, estimula o desenvolvimento sustentável de Mato Grosso do Sul.  Ele reduz o aquecimento global, preserva as nascentes e os corpos d’água, diminui a pressão sobre mata nativa, gera empregos no campo e é uma fonte de renda autorrenovável.

Estas plantações representam uma grande contribuição para o equilíbrio do meio ambiente do Estado, beneficiando também todo o território brasileiro, com o sequestro de Dióxido de Carbono (CO2), cumprindo o que estabelece o Protocolo de Kyoto e o MDL (Mecanismos de Desenvolvimento Limpo).