Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Sidrolandia

Após afogamento, bombeiro notifica hotel por falta de guarda vidas

A vítima e uma amiga pegaram um caiaque e entraram no lago do hotel. Jonas caiu e como não sabia nadar morreu afogado.

Campo Grande News

08 de Novembro de 2016 - 09:43

O Corpo de Bombeiros notificou o Eco Hotel do Lago, localizado na Rua Bom Retiro, na Chácara das Mansões, em Campo Grande por falta de guarda vidas. A ação foi realizada após o afogamento do professor Jonas Lobato Vermieiro, 27 anos. A vítima e uma amiga pegaram um caiaque e entraram no lago do hotel. Jonas caiu e como não sabia nadar morreu afogado.

As informações são do tenente coronel do Corpo de Bombeiros, Robson Aparecido Moreira, que explicou que o hotel possuí um certificado provisório de funcionamento, porém uma das exigências para estar regular era que possuísse profissionais aptos a salvamento no lago. “Se estivesse atendido essa exigência o tempo resposta para o resgate teria sido mais rápido”, explica o tenente coronel.

A notificação prevê que o hotel se enquadre nas exigências em até 30 dias e por enquanto o local não deve ser interditado.

Hotel – A reportagem entrou em contato com o proprietário do hotel, por meio do telefone, mas até a publicação desta matéria não foi atendido.

Corpo – Até esta manhã o corpo de Jonas ainda aguardava liberação do IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para depois seguir até Dourados – a 233 quilômetros de Campo Grande – onde será velado.

Polícia – O caso foi registrado como morte a esclarecer e conforme a assessoria de comunicação da Polícia Civil o boletim de ocorrência aguarda liberação para a delegacia em que ficará a cargo das investigações.

Caso - Conforme a Polícia Civil, testemunhas relataram que o rapaz junto com uma amiga pegaram os equipamentos de navegação, sob autorização de um funcionário da chácara, e foram remar no lago.

Enquanto os dois remavam, Jonas caiu do caiaque e como não sabia nadar morreu afogado. A testemunha conta que tanto o equipamento dela quanto do amigo estavam com furos na parte de baixo, o que facilitou a entrada de água na embarcação.

A testemunha relatou ainda que quando percebeu que Jonas se afogava, jogou boias para o amigo, mas sem sucesso. À polícia, o homem negou que tenha dado autorização para às vítimas. Equipe do Corpo de Bombeiros e mergulhadores foram acionados e fizeram o resgate do corpo. A vítima foi encontrada a dois metros de profundidade, próximo à margem e do caiaque.