Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Após noite de tensão e tiros, índios deixam fazenda para evitar conflito

Os índios, que buscam a ampliação da aldeia Cachoeirinha, também ocuparam a fazenda Charqueada

Campo Grande News

06 de Abril de 2011 - 13:00

A noite foi de tensão entre índios e fazendeiros na fazenda Petrópolis, em Miranda. A propriedade, que pertence à família do ex-governador Pedro Pedrossian, foi ocupada na última segunda-feira. Os índios, que buscam a ampliação da aldeia Cachoeirinha, também ocuparam a fazenda Charqueada.

De acordo com o índio Valehe Terena, de 30 anos, havia rumores sobre ataque por parte dos fazendeiros. Segundo ele, por volta das 20h, grupo de fazendeiros, funcionários e pistoleiros foram ao local do acampamento indígena. “Ouvi uns cincos disparos. Nessa hora, a Polícia Federal chegou”, relata.

Segundo ele, o grupo permaneceu no local e ninguém foi detido. “Para não ter confronto, saímos de lá às 5h de hoje”, conta.

De acordo com o coordenador regional do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), Flávio Machado, a PF orientou que os indígenas deixassem o local por falta de segurança. Hoje, por volta das 5h os terenas retornaram à fazenda Petrópolis.

A assessoria de imprensa da PF informou que a equipe que foi até Miranda ainda não chegou a Campo Grande, portanto não há detalhes da ação.

A portaria do Ministério da Justiça reconhecendo a área indígena é de 2007. Desde então, há uma guerra judicial e diversas ocupações em busca da posse das terras.

No ano passado, o procedimento administrativo de demarcação foi parcialmente suspenso por decisão liminar proferida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), em beneficio de Pedrossian.

A Funai (Fundação Nacional do Índio) chegou a depositar R$ 1,3 milhão em juízo, referente ao valor das benfeitorias. Mas os proprietários não aceitaram o acordo e recorreram.