Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 20 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Banda de Paranhos recebe 17 instrumentos da Fundação de Cultura

Acompanharam o prefeito na solenidade presidida pela vice-governador Simone Tebet, a diretora do Departamento de Cultura, Regina Tenner, o vereador Adelcino Moreira (Guto).

Flávio Paes/Região News

23 de Março de 2014 - 20:53

Numa solenidade realizada sexta-feira em Campo Grande, a Fundação Estadual de Cultura entregou ao prefeito Júlio Cesar (PDT), 17 instrumentos musicais (de sopro e cordas) destinados a Banda Marcial de Paranhos, que é uma das mais tradicionais e premiadas corporações musicais da região de fronteira. 

Acompanharam o prefeito na solenidade presidida pela vice-governadora Simone Tebet, a diretora do Departamento de Cultura, Regina Tenner, o vereador Adelcino Moreira (Guto) e o maestro Jorge Ibrahim Correa. O prefeito Julio Cesar tem feito investimentos na banda que tem 30 componentes, mas envolve aproximadamente 100 crianças e jovens, que no contra-turno da atividade escolar, tem iniciação musical e aqueles com aptidão para a música  , são integrados a corporação.

A banda fundada há oito anos não se apresenta apenas na cidade, mas participa de eventos e competições em todo o Estado. Além de comprar novos instrumentos, a Prefeitura tem investido na capacitação dos músicos. Ano passado, por exemplo, foi oferecida uma oficina de capacitação, aperfeiçoamento, instrução e técnicas de aprendizagem musical.

Nesta oficina, os músicos da Banda Musical de Paranhos, aprenderam técnica de bocal, respiração, coluna de ar, articulação de som, métodos instrumentais e diversos arranjos para aperfeiçoamento da banda. O curso foi ministrado por instrutores de Campo Grande/MS e coordenado pelos Maestros Valdomiro de Jesus Siqueira e Jorge Ibrahim Correa.

“Nossa banda que é um orgulho para nosso município merece ser tratada com carinho e dedicação e temos uma orientação do prefeito Júlio de dar toda atenção para eles (integrantes da banda), por isso dentro do possível estamos sempre proporcionando oportunidades de aprendizado”, afirma o maestro Jorge que está empenhado num outro projeto. Vai montar a primeira orquestra exclusivamente com indígenas.