Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Briga entre vereadores cassados de Dourados continua, agora, com emails

Midiamax

24 de Março de 2011 - 16:21

O vereador Idenor Machado (DEM) foi personagem hoje de uma mensagem que está sendo distribuída por email onde é acusado de “enriquecimento ilícito”. A mensagem teria sido enviada do e-mail do ex-vereador Marcelo Barros (DEM), cassado na última segunda-feira pela Câmara Municipal por envolvimento na Operação Uragano.

Machado garante que a mensagem é caluniosa e está prejudicando sua imagem na sociedade. “Pretendo entrar com uma ação na justiça contra o autor da mensagem”, disse o vereador, que hoje poderá ser confirmado na presidente da Câmara Municipal já que o Tribunal de Justiça julga uma ação impetrada pela vereadora Délia Razuk (PMDB) que também quer o cargo.

A mensagem, segundo o parlamentar, teria sido enviada pelo email ver.marcelobarros@hotmail.com, que supostamente seria usado pelo ex-vereador quando estava na Câmara. A mensagem que está sendo repassada para centenas de internautas começa com o seguinte texto: “Interessante saber como foi a origem desta fazenda que pertence ao Vereador Idenor Machado, no mínimo deve ter sido herança, pois com salário de professor não é possível comprar uma dessas e mantê-la com festas, piseros, piscina cheia e td mais. Sem contar as fotos dos prédios e terrenos no centro da cidade do simples professor de escola pública”.

Idenor disse que a propriedade rural com pouco mais de trezentos hectares foi adquirida por ele há muitos anos com dinheiro recebido de um PDV (Plano de Demissão Voluntária) quando era funcionário público. “Não procede esta história que o meu patrimônio foi conseguido de forma inidônea”, disse o vereador.

Na mesma mensagem, há a afirmação de que o professor Idenor Machado conseguiu enriquecer porque foi secretário de educação da prefeitura de Dourados durante 12 anos, nos dois mandatos do ex-prefeito Braz Mello e em um do ex-prefeito Humberto Teixeira. No e-mail também há uma indagação: “A diferença que os dois ex-prefeitos estão pobres” e aproveita para anunciar as fotografias que estão anexadas na mensagem: “Vejam a sede da fazenda do humilde professor secretário. Podem explicar qual o segrego?”

Idenor disse que considera as mensagens um ataque gratuito. As fotos, segundo Idenor, teriam sido retiradas do Orkut do seu filho. “A piscina que aparece no e-mail não é da minha fazenda e sim de Bonito, onde meu filho esteve no verão”, explicou o vereador ao anunciar que na próxima segunda-feira vai usar a Tribuna da Câmara para se defender das acusações e cobrar explicações.

A reportagem tentou contato com o suposto autor das mensagens, mas até a publicação, não obteve resposta.