Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 24 de Junho de 2024

Sidrolandia

Cães de suspeito de matar Eliza são congelados

O vira-lata e o shar-pei foram sacrificados logo após exame inicial que constatou que tinham leishmaniose

Folha

27 de Julho de 2010 - 10:00

Apenas três dos dez cachorros do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, suspeito de matar Eliza Samudio, ainda estão vivos. Três corpos de animais mortos foram congelados a mando da defesa de Bola.

A polícia investiga se partes do corpo de Eliza, ex-namorada do goleiro Bruno Fernandes, foram jogadas aos cães.

O advogado de Bola, Zanone de Oliveira Júnior, disse que mandou congelar os três filhotes para que a defesa providencie uma perícia paralela assim que a polícia divulgar o resultado do exame que realizou nos animais ainda vivos, em busca de sinais da morte da Eliza.

No dia 8 de julho, os dez cães foram apreendidos pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) quando a polícia chegou à casa de Bola em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, levada pelo primo adolescente de Bruno. Em depoimento, o jovem disse que Bola matou Eliza e depois jogou as mãos dela aos animais.

Dos dez cães, havia um vira-lata, um shar-pei e seis rottweillers (dois adultos e quatro filhotes). O vira-lata e o shar-pei foram sacrificados logo após exame inicial que constatou que tinham leishmaniose.

Nos últimos dias 22 e 23, dois dos filhotes de rottweiller morreram com sintomas de parvovirose. Os seis rottweillers sobreviventes --dois adultos e quatro filhotes-- foram devolvidos no dia 23 à família do ex-policial.

Oliveira afirmou que três dos filhotes morreram logo após chegar em casa. Dos cães que ainda restam, um filhote está sob medicação e o macho adulto está com a pata machucada. A fêmea adulta está saudável.