Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Câmara julga até 6ª feira cinco vereadores denunciados na Uragano

Acusados de receber propina, os parlamentares foram presos na Operação Uragano, realizada pela PF (Polícia Federal) em setembro de 2010.

Campo Grande News

15 de Março de 2011 - 09:35

A Câmara Municipal de Dourados fará julgamentos até sexta-feira que podem cassar cinco vereadores afastados. Acusados de receber propina, os parlamentares foram presos na Operação Uragano, realizada pela PF (Polícia Federal) em setembro de 2010.

Em liberdade, eles enfrentam processo de cassação por quebra de decoro parlamentar na Câmara. Hoje, a partir das 14h, vai a julgamento José Carlos Cimatti (PSB).

Amanhã, às 9h, será a vez de Humberto Teixeira Junior (PDT). Na quinta-feira, está agendado o julgamento de Júlio Artuzi (PRB). Na sexta-feira, serão julgados Paulo Henrique Bambu e Aurélio Bonatto (PDT).

De acordo com o Dourados Agora, Bonatto seria julgado na manhã de hoje, mas a defesa pediu mais prazo. Bonatto ficou conhecido por levar uma sapatada ao tentar reabrir os trabalhos na Câmara após o escândalo.

Previsto para ontem, o julgamento de Marcelo Barros (DEM) foi suspenso pela justiça.

No último dia 3, Claudio Marcelo Hall, o Marcelão, foi cassado por quebra de decoro parlamentar. Já Zezinho da Farmácia, filmado recebendo dinheiro de propina, renunciou para não enfrentar o julgamento.

De acordo com o vereador Walter Hora (PPS), caso o mandato do vereador afastado seja cassado, um decreto legislativo efetua o suplente, que já ocupa a vaga devido ao afastamento dos parlamentares.

Gravações revelaram que os vereadores recebiam comissão de empreiteiras. A título de “mesada”, os então parlamentares recebiam entre R$ 5 mil e R$ 20 mil. Mesmo afastado, os vereadores recebem salários.