Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Sidrolandia

Camelódromo é tombado como patrimônio cultural de Campo Grande

O documento foi assinado no último dia dez pelos vereadores da Câmara Municipal. Quem ganha com isso são os comerciantes que de lá tiram seu sustento

MS Record

24 de Julho de 2012 - 15:04

O Centro Comercial Popular Marcelo Barbosa da Fonseca, conhecido como Camelódromo, foi tombado pela prefeitura como patrimônio cultural de Campo Grande. O documento foi assinado no último dia dez pelos vereadores da Câmara Municipal. Quem ganha com isso são os comerciantes que de lá tiram seu sustento.

“Abri o meio, aquele empreendedor individual, porque eu tinha um funcionário que já trabalhava a tempo comigo, aí eu abri a firma e registrei-o, recolho todos os encargos da firma e também tem o meu INSS que recolho da empresa, com isso melhoro”, afirma o comerciante João Batista de Freitas.

O centro comercial tem quase 500 boxes, que vendem vários tipos de produtos. Lá são gerados mil empregos só para atender o estabelecimento. A migração dos comerciantes para o prédio exigiu a legalização.

“Existe hoje uma concordância com o poder publico e cada vez mais um trabalho didático ensinado essas pessoas a trabalharem legalizadas”, esclarece a presidente do camelódromo Linda Silva de Tufaili.

Com a revitalização do centro, comerciantes ficaram com medo de que o local fosse fechado, o que assustou, agora com o tombamento essa ideia não é mais cogitada.

“Na há motivo mais de estar nos ameaçando de tirar daqui para fazer avenida, isso ou aquilo, porque um patrimônio tombado já mais será demolido”, relata João.

O camelódromo já deixou de ser apenas um centro comercial e já virou ponto turístico da cidade. “O tombamento vem para consolidar este local onde nós fomos instalados um dia, mostrando que é um local turístico de Campo Grande, respeitando esses trabalhadores que eram da rua e respeitando essa luta que foi feita, trazendo cultural e turística do Camelódromo de Campo Grande”, concluiu Linda.