Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 20 de Junho de 2024

Sidrolandia

Caminhoneiros param e cobram reajuste de 40% no frete pago por terceirizada da JBS/Seara

Os motoristas querem aumentar o valor para R$ 7,00 porque este preço ficou ainda mais defasado depois do último reajuste de 8% no litro do óleo diesel

Flávio Paes/Região News

21 de Novembro de 2014 - 09:01

Um grupo de 25 caminhoneiros desde ontem, quinta-feira, suspendeu suas atividades como forma de pressionar as empresas transportadoras que prestam serviço a JBS/Seara a reajustar em 40% o frete que está congelado em R$ 5,00 a tonelada há mais de cinco anos. Os motoristas querem aumentar este valor para R$ 7,00 porque este preço ficou ainda mais defasado depois do último reajuste de 8% no litro do óleo diesel.

“Só neste ano foram três aumentos”, comenta um dos líderes do movimento que prefere não ser identificado porque teme sofrer retaliação. Como resultado desta mobilização, ontem foi concedido um aumento de 10%, R$ 0,50 por tonelada, considerado insatisfatório.

Em média 50 pessoas prestam este serviço que envolve o transporte diário de 600 toneladas de milho para a fábrica de ração da JBS/Seara que abastece os aviários dos produtores consorciados da empresa. Se o movimento dos caminheiros se ampliar e houver interrupção do serviço, coloca em risco toda a cadeia produtiva construída em torno da avicultura em Sidrolândia que só no frigorífico gera 2 mil empregos diretos.