Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 20 de Junho de 2024

Sidrolandia

Carros comuns equipados com tecnologia para provas rodam ilegalmente em CG

Está enganado quem pensa que os proprietários urbanos turbinam mais camionetas e caminhonetes

Midiamax

06 de Julho de 2012 - 16:07

A tecnologia de turbinar veículos para competição de arrancadas, situação legalizada, está sendo utilizada sem autorização em carros comuns de rua. Para isto bastar colocar o kit turbo que mexe com coletor, sistema de alimentação, entre outros itens que dão mais torque e poder de ultrapassagens, por exemplo. Outra alternativa é motor preparado (aspirado).

Está enganado quem pensa que os proprietários urbanos turbinam mais camionetas e caminhonetes. Veículos populares como Gol, Fiat Uno e Celta e outros mais antigos estão na maioria deles. “É carro de gente que quer mais poder de ultrapassagem, para andar um pouco mais. Claro que tem gente que usa para fazer racha na rua, mas a gente sabe que a polícia está de olho. Então isto eles fazem mais de madrugada”, revela um dono de carro com motor aspirado que prefere não se identificar. Ele afirma que instalou a tecnologia apenas para economia de combustível.

Marcelo Maeda tem uma oficina no bairro Santo Amaro, em Campo Grande, que trabalha com a preparação de quatro carros para competição de arrancada. Ele explica que o motor preparado (aspirado) é aquele que faz troca de peças como, por exemplo, pistão e biela. Já o kit turbo é uma espécie de anexo que coloca no motor. “Turbo é tipo um ventilador que manda mais ar para dentro do motor”, resume.

Maeda ressalta que nem todo mundo coloca mais potência no veículo com a finalidade de correr no trânsito, quando o assunto é veículo não legalizado. De acordo com ele, muitos proprietários rurais colocam kit turbo para dar mais poder ao veículo. “Tem cliente que coloca este tipo de tecnologia porque o carro puxa muito peso. Também serve, neste caso, para dar segurança na hora da ultrapassagem por causa da carga”, defende.

Atualmente o preço praticado no mercado é de R$ 5 mil para colocar um kit turbo e de R$ 4 mil para um aspirado (preparado). “Muitas pessoas dizem que fazer isto num carro é correr pra morte, mas pra mim é da consciência da pessoa. Não com turbo ou não que o acidente vai acontecer. É questão de consciência porque em outros países os carros são muito mais potentes do que os daqui e lá não tem acidente como no Brasil”, frisa.

A Companhia Independente de Trânsito (Ciptran) já tem conhecimento de carros de rua rodando ilegalmente e por isso tem orientado militares para que fiquem atentos quanto a isto nas operações e verificações de veículos. O major Alírio Vilassanti, comandante da companhia, resalta que tem feito um trabalho de acompanhamento minucioso quanto às denúncias de carros turbinados ou preparados.

Legalização

No Mato Grosso do Sul não existe empresa certificada junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e com isto, automaticamente, não existe legalização de carros com alteração na potência, seja por kit turbo, motor preparado ou qualquer outro mecanismo.

Para legalizar um carro com potência modificada, proprietário deve procurar o Departamento Estadual de trânsito (Detran), dizer em que empresa vai fazer o processo, recolher uma taxa de R$ 80 que dá direito a uma autorização. Depois de voltar com o carro, volta ao Detran, apresenta a nota em nome da empresa prestadora de serviço, bem como da mão de obra e o veículo passa por uma vistoria. Com o trâmite aprovado, um novo documento do automóvel é feito especificando as mudanças.