Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Fevereiro de 2024

Sidrolandia

Com apoio do Estado, bandas recebem kits musicais e garantem futuro melhor para crianças e adolescentes

Hoje (8), o governador entregou 139 instrumentos para estas corporações e desta forma garante não só o fomento à cultura, mas um futuro melhor para crianças, jovens e adultos.

Notícias MS

08 de Março de 2013 - 14:19

Oito violinos, uma viola de arco e um violoncelo eram tudo que o maestro do município de Cassilândia precisava para dar início ao projeto de uma orquestra sinfônica com a participação de crianças. Através do Fundo de Investimentos Culturais (FIC), por meio do projeto Opus, instrumentos como estes estão sendo destinados para bandas e orquestras de pelo menos 12 cidades do Estado. Hoje (8), o governador entregou 139 instrumentos para estas corporações e desta forma garante não só o fomento à cultura, mas um futuro melhor para crianças, jovens e adultos.

“Hoje as prefeituras têm a responsabilidade de manter as bandas funcionando e às vezes fica complicado adquirir instrumentos como estes pelo alto custo. Não é todo o dia que a gente ganha um violino ou um trompete e são coisas que vem somar no dia a dia de trabalho. Eu acredito que um instrumento na mão de uma criança representa um a menos na rua ou mexendo com coisa errada”, comentou Silvoney Cesário da Silva, maestro da Banda Municipal de Cassilândia.

 Conforme o maestro, o kit musical que a cidade recebeu representa investimentos de cerca de R$ 10 mil. Era o apoio que precisava. “Isso é gratificante para nós e para as crianças que vão receber estes kits. Vamos dar início ao projeto de uma orquestra sinfônica. E já começamos um trabalho com 128 crianças que já vão ingressar nessa banda e desta forma agregar valores”, comemorou. É a primeira vez que a Banda recebe o kit musical. 

A Banda Municipal é formada por 70 integrantes com idade entre 10 e 22 anos, a maioria da Rede Pública de Ensino. Bruno Vaz, de 25 anos, hoje é músico da Banda que o acolheu pelo menos há 18 anos. “Projetos como esse definem o futuro da gente. E se não tivesse uma banda para ensinar música não seria possível conseguir realizar esse sonho”, disse o trompetista.

Em Corumbá, também é a primeira vez que a Banda de Percussão da Escola Estadual Maria Leite recebe os kits com instrumentos. A banda, como explica o diretor, Jonas Pinto de Souza, estava desativada há quatro anos e só no ano passado retomou suas atividades.  “Essa ajuda do governo vai incrementar nossa banda e vai dar a chance para que os diretores criem as bandas em suas escolas. Vem nos ajudar neste momento difícil porque estes instrumentos são muito caros”, salientou.

Não só o aprendizado da música, a banda, de acordo com o diretor, também proporciona alunos mais dedicados e disciplinados. “Para continuar na banda, o aluno precisa andar na linha, não pode faltar aula. Como os alunos adoram e têm a música no sangue, a gente tem o controle dos alunos”, concluiu o diretor da escola de Corumbá.

E será com o apoio do Estado que crianças e jovens do bairro Coophavilla II em Campo Grande vão continuar tendo aulas de música. De acordo com o presidente da Associação Cultural Shekinah, Wander Gomes, pelo menos 46 integrantes participam durante a semana dos ensaios na Associação de Moradores. Não é a primeira vez que a banda recebe os instrumentos musicais, o que tem colaborado para o andamento do projeto. “Já ganhamos trompete, bumbo e a importância do Estado em incentivar esta iniciativa é tirar crianças do mundo ocioso. Com o apoio conseguimos ampliar o número de instrumentos para atender os jovens na corporação”, disse.

É no Instituto Manoel Bonifácio, em Campo Grande que a aluna da Rede Estadual de Ensino, Thais Kamila de Souza, de 15 anos, já traçou o futuro. Há três anos na banda tocando instrumento de percussão, a estudante quer trabalhar com música. “Desde pequena gostava de tocar instrumentos e meus colegas em convidaram para participar da banda. Além de estudar administração quero ser música e quem sabe entrar para a banda do Exército”, admitiu.

Decisivo para a mudança de hábitos de jovens e adolescentes, a banda de que participa teve papel importante para o crescimento pessoal. “A música alimenta a alma, muda o pensamento em relação à sociedade e cria seres humanos melhores. Fiquei mais madura”, salientou.

 Corporações

Os kits foram entregues para a Orquestra Municipal de Alcinópolis, Orquestra Municipal de Cassilândia, Banda de Música de Caarapó, Banda Municipal de Corguinho, Orquestra Nova Geração de Ivinhema, Banda Marcial de Bandeirantes, Orquestra de Violões de Jateí, Banda Marcial de Rochedo, Banda Marcial de Rio Negro, Orquestra do Instituto Santa Izabel de Rio Brilhante e a Banda de Percussão da Escola Estadual Maria Leite, de Corumbá.

De Campo Grande foram beneficiados a Orquestra da Escola Estadual Maria Rita Pontes Teixeira, Banda de Percussão da Escola Estadual Célia Maria Naglis, Banda da Escola Estadual Manoel Bonifácio Nunes da Cunha, Associação Cultural Shekinah, Escola Estadual José Antônio Pereira, Orquestra de Violões da Fundação Chico Xavier e Banda Marcial da Seleta – Sociedade Caritativa e Humanitária.