Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 1 de Dezembro de 2020

Sidrolandia

Cooperativa LAR paga R$ 36,6 milhões para arrematar sete unidades de armazenagem da Cooagri

A cooperativa paranaense comprou armazéns em Maracaju, Rio Brilhante, Douradina, Itahum(distrito de Dourados),Ponta Porã, duas de Sidrolândia

Flávio Paes/Região News

30 de Julho de 2014 - 08:14

A LAR (Cooperativa Agroindustrial) com sede em Medianeira, arrematou por R$ 36,6 milhões sete dos 18 unidades de armazenagens da extinta cooperativa Cooagri que foram vendidas por meio de leilão judicial, que teve a segunda praça encerrada nesta terça-feira. A cooperativa paranaense comprou armazéns em Maracaju, Rio Brilhante, Douradina, Itahum(distrito de Dourados),Ponta Porã, duas de Sidrolândia  

Duas unidades não foram vendidas; de Aral Moreira, com lance mínima de R$ 1,8 milhão e a do Distrito de Anhanduí, que poderia ser comprada a partir de R$ 1,1 milhão. No total, das 16 as unidades leiloadas alcançaram um preço de R$ 54.945.639,00, 16,63% abaixo do valor de avaliação, calculado em R$ 65.909.952,72. Esta redução foi porque a maioria das unidades foram arrematadas em segunda praça, com lance mínimo 30% menor.

A cooperativa paranaense que na primeira praça comprou a unidade do Piqui, na zona rural  de Sidrolândia, adquiriu a da urbana que já arrenda, pagando R$ 4.889.537,66, 30% abaixo do seu valor de avaliação: R$ 6.985.053,79.  Ou seja, somando esses R$ 4,8 milhões, aos R$ 1.710.625,42 pagos pelo complexo do Piqui e os R$ 20 milhões aplicadas na unidade construída na saída para Maracaju, à cooperativa atingirá investimento superior a R$ 26 milhões no município. Antecipa-se a chegada da COAMO, também do Paraná (a cooperativa tem sede em Campo Mourão), que deve construir unidade na cidade, depois de pagar R$ 3,8 milhões pela unidade da Cooagri de Guaiba, localizada às margens da BR-463 em Ponta Porã.  

Além dos armazéns de Sidrolândia que pertenciam a Cooagri, a LAR comprou os de Maracaju (pagou R$ 12.465.64,47); o de Douradina (por R$ 3.050.421,34, no 1º leilão realizado dia 16 de junho); Itahum (R$ 2.949.732,29); de Ponta Porã na estrada para Antônio João (R$ 3.208.519,29); Rio Brilhante no 1º leilão (R$ 6.502.569,70).

A unidade mais cara, a de Maracaju, arrematada por mais de R$ 12 milhões, ocupa uma área de 22 hectares no quilômetro 4 da Rodovia Água Fria. O complexo inclui dois armazéns graneleiros que juntos têm capacidade para abrigar 72 mil toneladas de grãos. Para efeito de comparação o da área central de Sidrolândia estoca aproximadamente 32 mil e a do Piqui, 8 mil toneladas.

O que foi vendido  do patrimônio da Cooagri

1) Antonio João – arrematada  pela Poloagro em segunda praça -  por R$ 1.089.975,43. Foi avaliada em R$ 1. 557.107,75

2) Bonito – arrematada pelo Sesc em primeira praça por R$  3.739.251,72

3) Caarapó – comprada pela Guedin  em segunda praça por R$ 3.274.662,08. Estava  avaliada por R$  3.563.802,96 

4) Douradina – Comprada pela LAR  por R$ 3.050.421,34. Avaliada R$ 2.730.421,34

5) Indápolis – Comprada  pela Noslen por R$ R$ 2.396.923,21 em segunda praça. Estava avaliada em  R$ 3.081.318,86

6) Montese – Comprada pela Jangada Agropecuária por R$ 2.966.049,94- estava avaliada por R$ 2.637.214,19

7) Laguna Caarap㠖comprada pela Poloagro por R$ 3.069.649,79. Avaliação inicial – R$ $ 4.342.356,83

8) Vista Alegre –comprada pela Agrowek porR$ 3.202.000,00. Avaliação inicial – R$ R$ 3.201.939,89

9) Ponta Por㠖 comprada pela LAR por R$ 3.208.519,29. Avaliação inicial: R$ 4.583.598,88

10) Guaiba (Ponta Porã) – comprada pela Coamo por R$ 3.876.321,07. Avaliação inicial: R$ 5.537.601,52

11) Rio Brilhante—comprada pela LAR por R$ 6.502.569,70. Avaliação inicial: R$ 6.502.569,70

12) Sidrolândia – comprada pela LAR por R$ R$ 4.889.537,66. Avaliação inicial: R$ 4.889.537,66

13) Piqui (Sidrolândia) – comprada pela LAR por R$ 1.710.625,42. Avaliação inicial: R$ 1.710.625,42

14) Jardim - comprada pela  Arara Agropecuária por  R$ 2.467.248,20. Avaliação inicial: R$ 2.467.248,20

15) Laguna Caarapã- comprada pela Poloagro por R$ 3.069.649,79. Avaliação inicial: R$ 4.342.356,83

16) Indapólis – comprada pela Noslen por  R$ 2.396.923,21. Avaliação inicial: R$ 2.396.923,21