Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 27 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Corretores alertam que houve queda de 20% na venda de imóveis em MS

Já o setor bancário nega que houve corte de recursos, conforme essas instituições houve um aumento na liberação de financiamento, em 2014.

Midiamax

14 de Julho de 2014 - 10:00

Corretores de Mato Grosso do Sul reclamam de queda de até 20% nas vendas de imóveis no Estado, em relação ao ano passado. O principal motivo, segundo essa classe de trabalhadores, seria a diminuição de financiamentos oferecidos pelos bancos. Já o setor bancário nega que houve corte de recursos, conforme essas instituições houve um aumento na liberação de financiamento, em 2014.

De acordo com Anderson João Quintana, corretor há cerca de 2 anos, o mercado imobiliário está parado. Segundo ele, os bancos soltavam muito mais financiamentos, há 1 ano, ou seja, as regras eram mais flexíveis. “Antes, quem dava uma entrada de R$ 5 mil conseguia comprar uma casa de R$ 110 a R$ 120 mil. Atualmente, é preciso desembolsar cerca de R$ 12 mil de entrada para conseguir um financiamento”, afirma Anderson.

Nesse sentido, Andre Luiz Ribeiro, corretor há cerca de 25 anos, também afirma que o mercado está em baixa. Ele também atribui a causa disso às regras mais rígidas dos financiamentos bancários, contudo, adverte que essa dificuldade imposta pelos bancos está ligada à inadimplência dos compradores.

Ainda segundo Ribeiro, na época em que os financiamentos eram mais acessíveis, houve muita especulação imobiliária, fazendo os preços subiram. O corretor afirma que, por exemplo, um apartamento de uma grande construtora avaliado em R$ 70 mil (conforme sua experiência profissional), chegou a ser vendido por R$ 90 mil, isto é, um aumento de 23%.

Por outro lado, conforme o gerente regional de construção civil da Caixa Econômica Federal em Mato Grosso do Sul, Ubiratam Rebouças Chaves, no primeiro semestre de 2013, foram liberados cerca de R$ 310 milhões para o Estado. Para o mesmo período deste ano, a Caixa ofertou financiamentos de cerca de R$ 398 milhões. Ubiratam diz, ainda, que as regras para se obter financiamentos continuam do mesmo jeito, ou seja, não houve implantação de mais rigidez.

Já para o presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul, James Gomes, houve uma queda nas vendas de imóveis de cerca de 10%, contudo, ele afirma que essa é uma característica do setor imobiliário, isto é, há sempre uma inconstância nas vendas. “Um mês está ruim para nós, mas no outro melhora. Isso é normal”, diz James.