Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Sidrolandia

CTG Campos de Vacaria completa 30 anos e mantém viva a cultura tradicionalista

Com uma semana de antecedência, este será o evento comemorativo dos 30 anos da entidade, fundada em 20 de fevereiro de 1987.

Flávio Paes/Região News

11 de Fevereiro de 2017 - 11:00

O almoço dançante desde domingo no CTG Campos da Vacaria terá um tempero adicional que vai além do cardápio e das atrações artísticas, culturais programadas. Com uma semana de antecedência, este será o evento comemorativo dos 30 anos da entidade, fundada em 20 de fevereiro de 1987.

Nestas três décadas tem resistido, passou por momentos de esvaziamento, mas sempre manteve vivo o tradicionalismo. Hoje tem aproximadamente 200 sócios ativos, muitos deles, sul-mato-grossenses ou brasileiros de outras naturalidades, mas apaixonados pela música tradicionalista.

Faz jus ao papel dos CTGS País afora e até no exterior, de ser uma autêntica embaixada do Rio Grande do Sul por onde famílias gaúchas migram em busca de novas oportunidades. Aqui chegaram, junto com  catarinenses e paranaenses entre as décadas de 70 e 80  transformando o município num dos três maiores polos agrícolas do Estado. 

http://regiaonews.com.br/uploads/20170211092420Construcao_do_CTG.jpegTem uma sede própria imponente, provavelmente uma das mais bonitas do País, construída com eucalipto tratado e aroeira (foto da construção do CTG). Sua arquitetura é arrojada, sem perder a essência dos nativistas mais radicais, a de que um CTG em essência é um galpão.

Linha do tempo

A história do Centro de Tradições Gaúchas tem algumas peculiaridades. Pra começar seu fundador e primeiro patrão, Flaviano Santos, nem gaúcho é. Xiru Santão, como a cidade o conhece, nasceu em  Campos Novos, uma cidade de 40 mil habitantes do oeste catarinense. “Meus pais eram gaúchos”, faz questão de lembrar. Ele mora há 37 anos em Sidrolândia, para onde veio com a família com objetivo de trabalhar na construção de armazéns, com um antigo patrão, Noé Peixoto (um dos fundadores da Apae).  

http://regiaonews.com.br/uploads/20170211092249Sidao.jpeg"Santão" foi motorista da Prefeitura, radialista (atividade que mantém até hoje) e nas horas vagas,  Papai Noel e Rei Momo, mostrando que seu gosto musical vai além das músicas gauchescas.

Xiru teve a idéia de fundar um CTG na cidade a partir de conversas nas reuniões que participava com alguns amigos sulistas.

Na falta de espaço adequado, com o aval do então prefeito João Lemes, promoveu a 1ª Semana Farroupilha na Praça Central.