Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Julho de 2021

Sidrolandia

Daltro oferece ”Secretaria de Assistência Social” para atrair metade do PT

Marqueti pode voltar ao comando da Secretaria 90 dias depois de ter sido exonerado do mesmo cargo

Marcos Tomé/Região News

04 de Março de 2011 - 07:52

Daltro oferece ”Secretaria de Assistência Social” para atrair metade do PT
Daltro oferece - Foto: Marcos Tom

O prefeito Daltro Fiuza (PMDB) quer atrair metade do PT de Sidrolândia, isolando o grupo ligado ao presidente da Câmara Municipal, Jean Nazareth. Nesta sexta-feira Daltro deve convidar o professor Marcio Marqueti para reassumir a Secretaria Municipal de Assistência Social e oferecer cinco diretorias para indicação de petistas.

Marqueti pode voltar ao comando da Secretaria 90 dias depois de ter sido exonerado do mesmo cargo junto com outros dois secretários do PT numa medida de retaliação do prefeito, irritado com  a derrota de seu grupo politico na Câmara de vereadores.

Se confirmada a nomeação de Marqueti para o seu primeiro escalão, o prefeito dá mais uma demonstração de que não  pretende se reaproximar do vereador Jean Nazareth ao manter do seu governo os ex-secretários de Administração, Paulo Atílio e de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Eliane Salvati, ambos  afinados politicamente com o presidente da Câmara, que tem ao seu lado o presidente do diretório municipal do partido, Gilmar Antunes.

O presidente da Câmara reagiu com tranquilidade à possibilidade de uma ala do petista se reincorporar a administração municipal. “Respeito à posição dos companheiros de partido. Acredito que independente de diferenças pontuais, todos estarão trabalhando para manter a unidade partidária”, declarou.

Jean assegura que no comando do Legislativo se manterá sempre ao lado dos interesses da cidade. “Naquilo que julgarmos conveniente, necessário para atender  as demandas da população, seremos solidários na votação de projetos oriundos do Executivo”, declarou.

O prefeito Daltro Fiúza só tem quatro vereadores (do PMDB) na sua base de sustentação. Já sofreu uma derrota quando por 5 a 4  foram derrubados seus vetos ao projeto de reformulação da lei de loteamento. Com essa aproximação de Fiuza com parte do PT espera-se acalmar os ânimos, porém, a novela entre Fiuza x Petistas esta longe de se ter um desfecho em virtude de que o único voto do partido esta sob o domínio da ala que ainda não sentou com o chefe do executivo.