Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 28 de Fevereiro de 2024

Sidrolandia

David denuncia no facebock licitação fraudulenta para compra de cestas básicas

A denúncia é do vereador David Moura de Olindo (PR) que em postagem no seu facebock pessoal, garante tratar-se de uma licitação de “cartas marcadas”.

Da Redação Região News

14 de Fevereiro de 2013 - 15:11

A administração interina da Prefeitura de Sidrolândia estaria preparando uma licitação, na modalidade tomada de preços, para a compra de 900 cestas básica destinadas a famílias de baixa renda. O objetivo é evidente, garantir dividendos eleitorais para o candidato do PSDB, a menos de 20 dias da eleição suplementar.

A denúncia é do vereador David Moura de Olindo (PR) que em postagem no seu facebock pessoal, garante tratar-se de uma licitação de “cartas marcadas”. O vencedor da concorrência, segundo David, já está definido antecipadamente: será um empresário do ramo supermercadista (com lojas na Avenida Dorvalino dos Santos) que é um entusiasta da candidatura do produtor rural Ari Basso.

De acordo com o vereador, esta mesma estratégia foi usada na Câmara Municipal para revestir de legalidade a contratação do advogado Daniel Alves, que está ganhando aproximadamente R$ 6.500,00 por mês para dar assessoria jurídica ao Legislativo. Pela versão de David, o prefeito interino entregou ao empresário beneficiado três envelopes para que ele próprio preenchesse as propostas: duas com “participantes” (esquentadores) e a dele, naturalmente com preços menores dos que apresentados pelos concorrentes de “mentirinha”.

Se de fato houver a distribuição de cestas básicas, não seria a primeira medida de caráter eleitoreiro adotada pela administração interina do prefeito Ilson Peres. A “porteira” de oportunidades foi o decreto baixado por Peres, que declarou a Prefeitura em situação de emergência administrativa.

Com o decreto, o prefeito pôde contratar serviços e comprar produtos, sem licitação, beneficiando empresários financiadores de campanhas tucanas e dirigentes de partidos que estiveram no palanque de Enelvo. No caso da compra de combustíveis, o prefeito adquiriu R$ 680.230,00 que beneficia apenas dois postos (o Nossa Senhora da Abadia e o Pé de Cedro) pertencentes a empresários aliados do ex-prefeito.

Em média a prefeitura gasta por mês R$ 200 mil com combustível (especialmente óleo diesel), que tem maior consumo com a manutenção das estradas vicinais. As conexões político-empresariais também foram determinantes na escolha dos fornecedores de gêneros alimentícios e material de expediente para a prefeitura.

Outra medida de caráter populista foi à contratação temporária de funcionários para atuar por 90 dias na limpeza pública, com salário de R$ 700,00. Segundo o prefeito interino, foram 75 trabalhadores, embora circulem especulações de que passem de 100. A promessa é renovar o contrato até dezembro em caso de vitória do PSDB.

Na sexta-feira, quando foram receber o pagamento referente aos primeiros 15 dias de serviço, muitos trabalhadores foram surpreendidos ao receberem cheques em valores irrisórios (R$ 21,00, R$ 23,00) quando a maioria a tinha direito de receber até R$ 350,00. Os cheques foram trocados, mas muita gente, passou o Carnaval sem dinheiro, porque os bancos fecharam na sexta-feira e só reabriram ao meio-dia da quarta-feira de cinzas.

David denuncia no facebock licitação fraudulenta para compra de cestas básicas