Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Junho de 2024

Sidrolandia

Defesa Civil alerta para a baixa umidade do ar em Dourados

A principal recomendação é que as escolas paralisem as atividades de educação física ou reduzam as que exigem maior esforço físico entre 10h e 16h

Dourados Agora

26 de Agosto de 2010 - 16:06

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil fez alerta à população sobre as baixas umidades relativas do ar no município, que nos últimos dias tem chegado a 12% em Dourados. A principal recomendação é que as escolas paralisem as atividades de educação física ou reduzam as que exigem maior esforço físico entre 10h e 16h.

De acordo com o coordenador municipal de Defesa Civil, João Vicente Chencarek, as escolas públicas e particulares estão sendo alertadas através de um oficio, com as recomendações obedecendo aos parâmetros da OMS (Organização Mundial da Saúde).

O coordenador lembra que os principais problemas decorrentes da baixa umidade do ar nas pessoas e no meio ambiente são complicações alérgicas e respiratórias por causa do ressecamento de mucosas; sangramento pelo nariz; ressecamento da pele; irritação dos olhos; eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos, além do aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

Pelas recomendações, quando a umidade do ar atinge entre 20% e 30% as pessoas devem evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h; umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas, recipientes com água, conservar molhados os jardins e sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol e consumir muita água.

Entre 12% e 20% de umidade, o estado já é de alerta, portanto, as pessoas devem observar as recomendações de estado de atenção, suprimindo os exercícios físicos e trabalho ao ar livre entre 10h e 16h; evitar aglomerações em ambientes fechados e usar soro fisiológico para olhos e narinas.

Abaixo de 12%, torna-se estado de emergência, quando a população deve observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta, determinando a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10h e 16h, como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência, entre outros; suspensão de atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados, como em salas de aulas, cinemas, entre outros locais, nos períodos de 10h às 16h.

A recomendação é que durante as tardes, a população mantenha úmidos os ambientes internos, principalmente quarto de crianças e hospitais.