Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Diante da crise, presidente da Assomasul aconselha contenção de despesas

A receita dos municípios deve encolher de 15% a 20% em setembro em relação ao mês anterior, conforme a STN (Secretaria do Tesouro Nacional).

Assomasul

14 de Setembro de 2013 - 11:00

Além de considerar equivocadas versões de que o agravamento da crise das prefeituras se deu por descaso da entidade, o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Douglas Figueiredo (PSDB), voltou a alertar os prefeitos esta semana sobre nova queda da receita e, por conta disso, aconselha medidas de contenção de despesas.

Douglas observa que desde que assumiu o cargo vem alertando os prefeitos em relação a essa possibilidade, baseado principalmente nas quedas constantes do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) como consequência da política de isenção fiscal adotada pela área econômica do governo federal visando contemplar à indústria automotiva e aos produtores da chamada linha branca.

Esse, segundo Douglas, tem sido o fator principal da crise enfrentada pelos municípios, uma vez que a isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) acaba subtraindo valores substanciais dos cofres públicos, porque o FPM é formado por 22.5% da receita do IPI e do Imposto de Renda.

"Além do cuidado em alertar os gestores públicos por meio da imprensa, temos enviado e-mails às prefeituras todas as vezes que temos notícia sobre a iminência de crise”, observou o presidente da Assomasul, lembrando ainda que a Assomasul tem participação histórica nos movimentos municipalistas em favor de mais recursos públicos.

Ontem (13), ao participar do ato de entrega de motoniveladoras em Costa Rica, Douglas anunciou que a Assomasul fará uma marcha em outubro visando sensibilizar as autoridades estaduais sobre a situação dos municípios.

Esta semana mesmo, Douglas voltou a advertir os gestores públicos sobre nova queda do FPM, anunciada pela STN (Secertaria do Tesouro Nacional). A receita dos municípios deve encolher de 15% a 20% em setembro em relação ao mês anterior, conforme a STN (Secretaria do Tesouro Nacional).

Em agosto, o repasse do FPM totalizou R$ 68.525.240,64 para divisão entre os 79 municípios do Estado. Composto por 22.5% da receita do IR (Imposto de Renda) e do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializado), o FPM é repassado a cada dez dias do mês.

Para se ter ideia do prejuízo, a primeira transferência feita no dia 10 do mês passado foi de R$ 43.052.471,33, enquanto que nesta terça-feira (10) o valor depositado na conta das prefeituras foi de R$ 28.016.531,68.