Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 19 de Maio de 2024

Sidrolandia

Dilma Rousseff:Duplicação de rodovias e ampliação do aeroporto de Florianópolis

Na questão da prevenção, Dilma destacou ainda os investimentos do governo em saneamento básico, drenagem e em encostas.

Zero Hora

12 de Agosto de 2010 - 14:05

Concluir a duplicação da BR-101, ampliar o terminal de passageiros do Aeroporto Hercílio Luz até o final de 2011 e duplicar a BR 470 em dois anos. Estes foram alguns dos compromissos assumidos pela candidata à presidência do PT, Dilma Rousseff, que participou nesta manhã do Painel RBS.

O programa começou com questionamentos sobre a demora das obras do trecho Sul da 101. Dilma afirmou que tirando os trechos problemáticos (Morro dos Cavalos, Morro do Formigão, ponte de Laguna e o contorno de Araranguá) a obra ficará pronta até o final do ano.

Segundo ela, os atrasos ocorreram devido a problemas das empresas que venceram a licitação e pelo grande volume de chuva que o estado recebeu nos últimos anos.

Para a ex-ministra, a legislação é muito dura com o poder público, que precisa cumprir exigências legais e o acompanhamento de órgãos como o Ministério Público e Tribunal de Contas, mas oferece poucas ferramentas para cobrar as empresas.

Por isso, às vezes é mais fácil, como no caso de Araranguá, refazer todo o processo do que insistir na mesma licitação. Já com relação aos túneis, pontes e o contorno de Araranguá, Dilma disse que, se eleita, irá finalizar estas obras até final do mandato.

— Considero absolutamente factível resolver este problema. Assumo este compromisso tranquilamente e, digo mais, é impossível não acabar esta obra — destacou.

Dilma também falou sobre a tragédia climática que o estado enfrentou em novembro de 2008. A ex-ministra afirmou que a experiência vivida por Santa Catarina mostrou ao Brasil que é preciso investir na prevenção de catástrofes.

A proposta da petista é constituir um grupo permanente, ligado ao governo federal, que possa atender os estados em situações de emergências. O grupo reuniria estruturas da Defesa Civil, Forças Armadas e da Saúde.

Na questão da prevenção, Dilma destacou ainda os investimentos do governo em saneamento básico, drenagem e em encostas.

Na área da Saúde, a candidata disse que pretende continuar investindo na ampliação das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), para o atendimento de emergência, e na criação de Policlínicas Regionais Especializadas, com prioridade para o atendimento de médicos especialistas, como ginecologia, psiquiatria e oncologia.

Outro projeto é a implantação do SAMU Cegonha, para atender gestantes e bebês em seus primeiros 28 dias de vida. Dilma foi questionada sobre os baixos valores repassados pelo SUS aos hospitais.

De acordo com ela, o planejamento do governo federal foi feito com base nos recursos previstos da CPMF, derrubada pelo Congresso. Dilma afirmou que não é "ético" falar na volta da CPMF, mas destacou que o financiamento da saúde terá que ser reavaliado pelo próximo governo.