Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 14 de Junho de 2024

Sidrolandia

Direção estadual do PT ignora Lula e aceita aliança com PSDB

A orientação da Executiva Estadual é respeitar o que vier a ser decidido pela maioria dos integrantes do diretório de Sidrolândia.

Flávio Paes/Região News

08 de Junho de 2012 - 13:52

A Executiva Regional do PT, controlada pelo senador Delcidio do Amaral, não vai vetar uma eventual aliança com o PSDB em Sidrolândia, contrariando até a orientação do ex-presidente Lula.  Numa entrevista em rede nacional de televisão, Lula  ratificou a recomendação da direção nacional de veto a coligações com os tucanos, Democratas e PPS, partidos que também estarão no palanque do ex-prefeito Enelvo Felini.

“A orientação da Executiva Estadual é respeitar o que vier a ser decidido pela maioria dos integrantes do diretório de Sidrolândia. Isto não vai impedir que qualquer filiado apresente recursos na direção nacional para contestar uma eventual aliança com o PSDB”, reconhece o secretário de organização partidária, Agamenon do Prado.

Esta disposição de questionar em Brasília o apoio a Enelvo, já foi manifestada pelo vereador Jean Nazareth e também pelo petista Mário Custódio, integrante do diretório municipal. Exatamente para evitar o constrangimento de um recurso à Executiva Nacional, contra a aliança com o PSDB em Sidrolândia, é que a Executiva Nacional chamou para uma reunião nesta quarta-feira em Campo Grande os integrantes da Executiva Municipal e o vereador Jean, membro nato por ser líder de bancada na Câmara. 

Agamenon do Prado, pelo menos publicamente, mantém uma posição de neutralidade, mas fica evidente que a Executiva Regional não pretende intervir para suspender a decisão de coligação com o PSDB, aprovada por 13 dos 22 membros do diretório . Critério que foi ignorado em Maracaju,  por exemplo, onde  o PT decidiu em  prévias se aliar ao  PDT (partido da base do Governo Dilma no Congresso Nacional). Como o senador Delcidio do Amaral  não aceita a coligação para apoiar a reeleição do prefeito Celso Vargas,  a Executiva anulou a decisão (por 10 a 3), determinando o lançamento de candidatura própria, embora nem o próprio pré-candidato, Alberto do PT, mostre interesse no projeto.