Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Sidrolandia

Dourados: População ameaça por fogo na casa de Ari Artuzi

A comunidade passa fome, está desempregada e enquanto isso, o prefeito faz festas com dinheiro do contribuinte e enriquece

Dourados Agora

01 de Setembro de 2010 - 14:22

Dourados: População ameaça por fogo na casa de Ari Artuzi
Em frenta a casa do prefeito popula - Foto: Cido Costa

Em frente a Casa do Prefeito Ari Artuzi, no bairro Canaã I, o clima é tenso. A população ameaça por fogo no local. Mais de 70 pessoas estão aglomeradas no local. O prefeito Ari Artuzi, além de 9 vereadores, e cinco secretários municipais, foram presos, sob acusação de fraude em licitação e esquema que envolve crimes de fraudes à licitação, corrupção ativa e formação de quadrilha.

Por volta das 13h, os moradores começaram a chegar. Uma equipe da Polícia Militar e Guarda Municipal foi acionada para fazer a segurança no local. A população ameaçava depredar a residência.

Revoltada, a população lembrou da crise pela qual passa a saúde pública. "Enquanto o prefeito fica rico com dinheiro público, nós douradenses ficamos nas portas dos postos de saúde, mendigando atendimento. Aqui no Canaã I falta material para preventivo, luvas e vários atendimentos. Nunca há vagas nos postos. Dentistas é algo raro no serviço público. A comunidade passa fome, está desempregada e enquanto isso, o prefeito faz festas com dinheiro do contribuinte e enriquece", denuncia.

Para ela, a comunidade ficou ainda mais revoltada quando soube que na casa do prefeito foram apreendidos R$ 148 mil. Com palavras de ordem a comunidade ameaçava depredar o local. "Se a Guarda municipal sair daqui, ateamos fogo em tudo. Porque é isto que merece uma pessoa que rouba o povo, quando tem dever de proteger".

O morador Ricardo Ramos também se diz revoltado. Ele reclama sobre festas na casa do prefeito. "Enquanto ele faz encontros políticos que encomodam todos os vizinhos, minha esposa e eu perambulamos de posto em posto de saúde porque ela nunca é atendida. Ela sente dores por todo o corpo e não consegue vagas para atendimentos. Nem se o que pode acontecer com o prefeito quando ele voltar para cá. A população está muito revoltada", destaca.