Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Duas cidades de MS no ranking de mortes por amas de fogo

O estado de Mato Grosso do Sul mantém a média de homicídios com armas de fogo, Em 2007, cerca de 57,3% dos assassinatos utilizaram tal equipamento

Conjuntura Online

06 de Maio de 2011 - 07:24

Segundo dados do estudo da CNM (Confederação Nacional dos Municípios) Coronel Sapucaia e Sete Quedas aparecem entre os cem municípios com maior taxa de homicídio por armas de fogo no Brasil. O levantamento leva em consideração números de 2009 do Ministério da Saúde.

Coronel Sapucaia ocupa a 55ª posição. Foram 9 mortes e uma população de 14.569 habitantes. Sete Quedas aparece na75ª posição. Foram seis homicídios na cidade de 10.955 habitantes.

O estado de Mato Grosso do Sul mantém a média de homicídios com armas de fogo, Em 2007, cerca de 57,3% dos assassinatos utilizaram tal equipamento. Este percentual não alterou de maneira significativa em 2009, que manteve o índice de 59,2%.

Alagoas, Bahia, Paraíba, Rio de Janeiro e Pernambuco lideram o ranking nacional. “Estamos dando continuidade ao mapeamento da violência armada nos Municípios para orientar os gestores públicos brasileiros no enfrentamento deste grave problema social”, afirma presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

O Norte do país é a região que menos usa armas de fogo na prática de homicídios. Isso mostra que nesta região do país o acesso às armas não é tão comum e disseminado como nas outras, havendo a utilização de outros instrumentos letais.

Um dado importante é o número de armas que circulam no país. Quatro estudos publicados no final de 2010 mostraram a triste realidade de que cerca de 16 milhões de armas de fogo circulam hoje no Brasil, sendo 8,4 milhões legais (52,4%) e 7,6 milhões ilegais (47,6%), segundo o Sistema Nacional de Armas (Sinarm), até setembro de 2010.

Mulheres

A pesquisa também mostra a violência contra as mulheres. O levantamento indica que, na maioria dos casos, as mulheres são assassinadas em um contexto de violência domestica, em brigas com o marido ou companheiro.

Sobre o estado civil das mulheres assassinadas em todo o país, as solteiras respondem por 61% nos últimos dez anos, enquanto as casadas representam 17%. A faixa etária mais afetada é a dos 20 a 29 anos.

Em Mato Grosso do Sul, 65 mulheres foram mortas em 2009, sendo 28 por arma de fogo.