Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 30 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Educação: Kits escolares são entregues no João Batista

Aos menos 333 kits foram entregues na manhã desta quinta-feira aos alunos da rede pública de ensino na extensão da escola municipal Leonida La Rosa Balbuena.

Marcos Tomé/Região News

06 de Fevereiro de 2014 - 18:15

Os kits escolares começam a chegar às localidades mais longínquas do município de Sidrolândia. Aos menos 333 kits foram entregues na manhã desta quinta-feira aos alunos da rede pública de ensino na extensão da escola municipal Leonida La Rosa Balbuena, no João Batista. Deste total, 115 serão utilizados pelos alunos do EJA (Ensino de Jovens e Adultos) que funciona no período noturno.

A coordenadora Jocabed Sigueira, que assumiu o comando da unidade escolar no inicio de 2013, explica que há uma crescente demanda. Desde 2011, quando a escola passou a funcionar num prédio maior com melhor infraestrutura, a demanda por vaga cresceu 275%, saltando de 79 estudantes em 2011 para os atuais 218. Entre 2012 e 2013 a população estudantil praticamente dobrou saindo de 117 alunos registrados em 2012 para 210 no ano seguinte.

Esta crescente procura dos assentados do João Batista e adjacentes já revelam problemas de acomodações na instituição de ensino. Nossa reportagem constatou, por exemplo, alunos em salas improvisadas num antigo galpão que fica a poucos metros do prédio oficial da escola, sem as mesmas condições oferecidas aos demais estudantes.

Cerca de 55 crianças com idade entre 9 e 11 anos do 3º e 4º ano, respectivamente, convivem num espaço inadequado, sem banheiro, bebedouro e a luz do sol que surge em meio buracos das telhas na cobertura, dão condições de visibilidade aos alunos. Desde o encerramento do ano letivo em dezembro do ano passado a coordenadora aguarda o inicio das obras da ampliação do prédio da escola.

Foto: Marcos Tomé/Região News

Segundo Jocabed, serão erguidas duas salas de aulas, laboratório de informática, além de uma sala para professores. A coordenadora não soube informar os valores dos recursos a serem aplicados, mas, espera ansiosa pelo início das obras que tão logo entregue, vai resolver o problema da insuficiência de espaço físico para abrigar a demanda.

“A Prefeitura tem feito o melhor com o pouco que tem. A demanda é sempre crescente e obviamente, estes problemas sempre existirão” justifica, ressaltando que o Prefeito Ari Basso já determinou a reestruturação da área para sanar o problema. “Aos poucos vamos ajustando os detalhes”, finaliza.