Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Sidrolandia

Em debate, Marina adota atitude mais crítica

Candidata avalia que surgiu uma oportunidade de debater de igual para igual com os adversários

Agência Estado

18 de Agosto de 2010 - 16:52

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, assumiu uma atitude mais crítica durante o debate promovido na quarta-feira, 18, na capital paulista. No entanto, em entrevista após o evento, negou que tenha mudado o tom do seu discurso.

Na avaliação da presidenciável, o que mudou foi que surgiu uma oportunidade de debater de igual para igual com os adversários José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). "Não mudei o tom", afirmou. "Foi um debate em que tive a oportunidade de interagir de igual para igual." Marina afirmou ainda que manteve a posição de discutir ideias, sem "pegadinhas", e elogiou o "currículo" dos três candidatos. "Existem aqui três pessoas de biografias respeitáveis, mas com visões diferentes de mundo."

Durante o debate, a candidata do PV criticou algumas vezes a gestão tucana em São Paulo, principalmente nas áreas de educação e saneamento básico. A presidenciável negou que tenha feito uma espécie de dobradinha com Dilma para atacar Serra. "As críticas que fiz a um, eu também fiz a outro. Se tivesse a oportunidade de fazer perguntas à ministra Dilma, teria feito da mesma forma que fiz ao governador Serra."

A candidata do PV criticou, ainda durante o debate, a reivindicação de paternidade de programas de governo, incluindo o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Estão querendo infantilizar a sociedade brasileira", reclamou. Para Marina, o eleitor deve ser tratado como adulto e não cabe nomear "pai, mãe e tio" de programas públicos.


No fim do evento, Marina censurou os adversários por apresentar, na opinião dela, discursos diferentes para públicos distintos. A candidata se referiu à resposta de Dilma sobre a política sobre aborto no Sistema Único de Saúde (SUS). Ao ser questionada sobre o assunto, a petista disse que é pessoalmente contrária ao aborto, mas que é favorável às políticas públicas para tratar da questão. "Eu não mudo de discurso quando mudo de ambiente. Por isso, eu me atrapalho menos", afirmou, ironizando a adversária.

A candidata do PV afirmou que sua curta aparição no programa eleitoral gratuito, veiculado ontem, teve o intuito de reforçar a gravidade dos problemas advindos do aquecimento global. Em 1 minuto e 23 segundos a que tem direito na propaganda, o PV mostrou imagens do planeta e alertou quanto aos riscos do aquecimento global. No fim da inserção, Marina apareceu rapidamente, dizendo apenas que é a candidata do PV. "Este é o momento dos brasileiros elegerem quem tem a visão de urgência que ali foi posta", justificou.