Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 20 de Junho de 2024

Sidrolandia

Em julho, colheita de cana puxa contratações e Sidrolândia ocupa 2º lugar nas vagas

Três Lagoas teve o terceiro melhor desempenho, com 301 postos de trabalho (2.420 contratações e 2.119 desligamentos).

Flávio Paes/Região News

20 de Agosto de 2012 - 09:25

Depois de um primeiro semestre negativo em termos de geração de empregos (queda de 21,57% na oferta de vagas sobre igual período de 2011), o início do segundo do semestre apresentou uma reversão no cenário do mercado de trabalho em Sidrolândia. Em julho a cidade ficou em 2º lugar no ranking estadual da geração de empregos, atrás apenas de Campo Grande.  

Dos 1.896 novos empregos com carteira assinada registrados no período em   Mato Grosso do Grosso do Sul, 19,62%, 372 vagas, surgiram no município, saldo resultante de 604 contratações e 232 dispensas formalizadas em julho. Conforme o levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego a Capital o mês passado com um saldo de 414 postos ( 9.500 admissões contra 9.086 demissões).

Três Lagoas teve o terceiro melhor desempenho, com 301 postos de trabalho (2.420 contratações e 2.119 desligamentos), enquanto Corumbá ocupa a quarta posição, com saldo de 185 empregos, 598 contratações e 413 demissões. Este resultado foi puxado basicamente pelo setor agropecuário que respondeu por 75% dos empregos gerados, 282 (383 contratações e 101 dispensas).

Mais de 55% das contratações foram da Usina Santa Olinda de Quebra Coco, que teve de repor seu quadro de pessoal (após demitir mais de 300 funcionários no primeiro trimestre) para absorver a demanda de serviço gerada pelo início da colheita de cana. Só para atuar na lavoura, foram abertas 209 vagas com salário de R$ 662,50; sete vagas de operador de moenda (salário de R$ 910,5); seis de operador de colheitadeira (R$ 1.756,50 de vencimento); 29 motoristas de caminhão (R$ 1.473,23 de salário) e seis oportunidades de trabalho para operador de carregadeira (salário de R$ 1.251,00).

Além da agropecuária, o CAGED registrou em Sidrolândia no mês de julho a geração de novos empregos no setor de serviços (20); indústria (55); cinco na construção civil e 10 no comércio. Foi o melhor resultado dos últimos quatro anos. Em julho de 2011 foram geradas só 62 vagas (435 demissões e 373 demissões); em 2010, queda de 34 vagas (352 contratações e 386 dispensas); em 2009, abertura de 33 oportunidades de trabalho e em 2008, saldo negativo de 96 vagas e 2007, corte de 247 empregos.

Mato Grosso do Sul gerou 1.896 empregos formais em julho, aponta o Caged (Cadastro Geral de Empregados e desempregados) divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Ministério do Trabalho.  É  o melhor resultado consolidado no mês,  desde 2003 e representa um crescimento de 0,4% em comparação ao mês anterior, quando foram criados 1.592 postos de trabalho.

Segundo o Caged, o comércio foi o setor que mais criou empregos com 740 postos, seguido pela construção civil com 487 vagas e o setor de serviços, com 412.

No acumulado dos primeiros sete meses foram geradas 25.586 empregos, um crescimento de 5,64% na comparação com o mesmo período do ano passado. O acumulado dos últimos 12 meses, houve crescimento