Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Julho de 2021

Sidrolandia

Em Sidrolândia, 5.977 eleitores não foram às urnas no 2º turno, 21,15% do eleitorado

No primeiro turno 4.984 eleitores não foram às urnas e neste domingo, 5.977 se abstiveram.

Flávio Paes/Região News

27 de Outubro de 2014 - 07:41

Embora abstenção em Sidrolândia, 21,15% tenha sido menor que a média de Mato Grosso do Sul (23,13%), ainda assim este índice  foi superior ao registrado na da eleição para governador em 2010 (18,47%) e a verificada nas eleições municipais de 2012 (7,92% ) os  12,41% da suplementar de 2013.  No primeiro turno 4.984 eleitores não foram às urnas e neste domingo, 5.977 se abstiveram.

Algumas cidades tiveram índices de abstenção bem superior aos de Sidrolândia. Em Porto Murtinho, por exemplo, a abstenção foi de 36,93%; em Aquidauana, 30,57%; Ladário, chegou a 29,60%; Pedro Gomes, 29,34%; Corumbá, 28,04%; Coronel Sapucaia, 28,75%.

O índice de abstenção de votos no segundo turno, em Mato Grosso do Sul, foi de 23,13%, o que representa que 420.367 eleitores deixaram de votar no dia 26 de outubro, no Estado. Se compararmos com o primeiro turno, onde 373.191 pessoas não compareceram para votar, houve um aumento de abstenção de 12,6% nesta segunda etapa.

O presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), o desembargador João Maria Lós, esperava que este índice caísse no segundo turno, mas afirmou que além do feriado, a questão da falta de interesse na eleição, pesou para que este não comparecimento fosse superior ao esperado.

"No 1° turno já havia sido muito grande, tanto que fizemos várias campanhas na rádio e TV para motivar o eleitor, mas não conseguimos, muitas pessoas devem ter viajado para o interior, além disto, também houve um baixo nível nos debates entre os candidatos", apontou ele.

O desembargador citou que nos programas eleitorais, os candidatos perderam a oportunidade de apresentar propostas, para ficarem fazendo ataques, que geraram inúmeras ações na justiça eleitoral, com perda de tempo e direito de resposta. "Esperamos que na próxima eleição o nível seja mais elevado".

Na última eleição para o governo estadual, realizada em 2010, houve um índice de abstenção de 18,13% no primeiro turno, o que representou que 308.448 pessoas deixaram de votar naquela oportunidade.

Em comparação com o 1° turno de 2014, são 64.743 eleitores a mais que deixaram de votar em Mato Grosso do Sul. Em uma análise com o segundo turno deste ano, levando em conta que em 2010, não houve esta segunda etapa eleitoral, podemos dizer que 111.919 eleitores a mais não compareceram às urnas.

Polêmica - O decreto de ponto facultativo aos servidores nos dias 27 e 28 de outubro, que gerou o feriadão de quatro dias, gerou polêmica no Estado. A maioria dos prefeitos seguiu o caminho do governo estadual e também concederam estes dias de folga, já a prefeitura de Dourados, seguindo modelo de São Paulo, preferiu fazer a comemoração do servidor no dia 31 de outubro, na próxima sexta-feira.

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou que este feriado não iria atrapalhar nenhum dos candidatos, além disso, ressaltou que era responsabilidade de todos "exercer o dever da cidadania", no último dia 26. Sobre a data escolhida, o peemedebista lembrou que sempre faz a comemoração do dia servidor em 28 de outubro.