Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Junho de 2024

Sidrolandia

Escolas estaduais adotam medidas para driblar a baixa umidade do ar

Recomendamos aos alunos, principalmente do período vespertino, a trazerem as suas próprias garrafas de água para evitar que saiam constantemente das salas de aula.

Correio do Estado

20 de Agosto de 2010 - 08:27

Com o baixo índice da umidade relativa do ar chegando a 20% em todo Estado de Mato Grosso do Sul, as escolas estaduais de Campo Grande vêm adotando medidas para evitar que os alunos sofram problemas respiratórios e desidratação. Desde o ano passado a Secretaria Estadual de Educação encaminha para todas as escolas da Rede Estadual procedimentos específicos para os alunos durante o período de estiagem, principalmente relacionadas às atividades físicas.

          Um dos exemplos está na Escola Estadual Joaquim Murtinho, onde as medidas estão sendo cumpridas devido às condições climáticas. “Recomendamos aos alunos, principalmente do período vespertino, a trazerem as suas próprias garrafas de água para evitar que saiam constantemente das salas de aula. Também reduzimos a carga de atividades físicas, que só podem ser feitas na quadra coberta da escola”, diz Lucílio Souza Nobre, diretor da Escola Joaquim Murtinho.
          A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) está desaconselhando atividades ao ar livre e exposição ao sol entre as 10h e 17h, especialmente entre as 14 e 16 horas, período em que umidade do ar fica ainda mais baixa.
          Orienta-se, principalmente aos alunos nas escolas, durante as atividades de educação física, a ingestão de bastante líquido para não haver problemas de hidratação. Somente na Rede Estadual de Ensino, existem cerca de 300 mil alunos.
          A Defesa Civil informa também que o tempo seco aumenta o risco de incêndios florestais. Com isso, recomenda-se à população para não fazer fogueiras nas proximidades de matas e florestas. Além disso, os motoristas que trafegam por regiões sujeitas a incêndios deverão ter atenção redobrada devido à visibilidade reduzida pela fumaça.