Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Sidrolandia

Felipão ganha camisa "turbinada" por patrocínios

A imagem de Felipão também será utilizada para algumas propagandas da empresa, que espera uma elevação considerável em seu número de clientes.

Agência Estado

15 de Julho de 2010 - 16:00

A contratação do técnico Luiz Felipe Scolari só foi possível por parte do Palmeiras graças aos investimentos dos patrocinadores. Só na camisa do treinador, o clube contará com o apoio de três empresas: Seguros Unimed, Parmalat e Banco Banif. Felipão assinou contrato até o final de 2012 e deve receber cerca de R$ 700 mil por mês.

Quando contratou Muricy Ramalho, no Brasileirão do ano passado, o Palmeiras já contava com o apoio da Unimed, que estampava a camisa do treinador. Para ter Felipão, o acordo foi ampliado - com um valor na casa dos R$ 4 milhões. A Unimed abriu mão da exclusividade na camisa de Scolari, e ganhou, com isso, uma marca na camisa dos jogadores, na parte das costas.

A Unimed também passou a ocupar 20% do espaço dos painéis que aparecem ao fundo das entrevistas coletivas, além de manter o direito de um camarote no Palestra Itália. A imagem de Felipão também será utilizada para algumas propagandas da empresa, que espera uma elevação considerável em seu número de clientes.

A principal investidora do Palmeiras, porém, é a Fiat, que desembolsou R$ 26 milhões para colocar seu nome na camisa do time. O segundo maior patrocinador é a Adidas, fornecedora de material esportivo. Com contrato até 2011, a empresa paga cerca de R$ 9 milhões por ano, além de participação nas vendas e fornecimento de material.

O diretor de marketing do Palmeiras, Rogério Dezembro, procurou desconversar ao falar sobre a necessidade de investidores para ter um treinador do nível do Felipão. "Todo o investimento que entra vai para o departamento de futebol. Portanto, os patrocínios na camisa do treinador não são exclusivos para pagar ele."

O acordo com a Parmalat, antiga patrocinadora do clube, rende atualmente R$ 1 milhão aos cofres do clube. A empresa estampará sua marca na parte frontal e no verso da camisa de Felipão, além de placas no centro de treinamento do Palmeiras e nos painéis atrás dos jogadores. A empresa também realizará ações de marketing com clientes e o clube.

O Banif, o terceiro patrocinador da camisa de Felipão, foi fundamental para o acerto. O banco utilizará a imagem do clube para tentar atrair novos clientes, e colocará no mercado o cartão de crédito do Palmeiras - nos bastidores, o time procurou negar as informações de que o banco teria ajudado a pagar o salário de Scolari.

Com a chegada de Felipão, o Palmeiras espera ter ainda mais visibilidade na mídia e formar outras parcerias - cogita-se a TIM para estampar sua marca nos números das camisas dos atletas. O clube também detém outras formas de patrocínio, mas apenas na compra e venda de jogadores, como a Traffic e o grupo Sonda.