Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 25 de Julho de 2024

Sidrolandia

França criticada por racismo

Comité da ONU, em Genebra, critica expulsões de ciganos aplicadas pelo governo francês.

Correio do Brasil

27 de Agosto de 2010 - 14:45

Enquanto uma pesquisa revela aprovação pelos franceses da política de expulsão de ciganos da França para a Romênia e Bulgária, o Comitê pela Eliminação da Discriminação Racial, da ONU, pediu, em Genebra, ao governo francês para evitar os rapatriamentos coletivos e as posições discriminatórias assumidas recentemente, tendo por alvo comunidades ciganas na França.

Durante os debates, iniciados no começo deste mês, tinha-se também discutido a questão da identidade nacional levantada, na França, pelo ministro Eric Besson. O conselho de dezoito especialistas  do Comitê, entre os quais, o diplomata brasileiro José Augusto Lindgreen Alves, se manifestou preocupado com o discurso político xenófobo ou racista que se instaurou na França, visando os ciganos, sem se procurar soluções pessoais ou familiares, segundo uma nova preocupação política securitária, que favorece ações racistas dentro da população.

A decisão do Comitê pela Eliminação da Discriminação Racial reforça apelos da Comissão Européia, do Conselho da Europa e do próprio Vaticano em favor dos ciganos repatriados. A essa preocupação se alia o anúncio de uma próxima lei retirando a nacionalidade francesa aos autores de crimes, que, na verdade, visaria igualmente os ciganos.

O mesmo Comitê se pronunciou contra as autorizações de passagem, que os ciganos são obrigados a obter junto da polícia a cada três meses e se  surpreende com essas novas medidas autoritárias tomadas contra um grupo que, em outros países, como a Espanha, tem acolhida e reconhecimento.

Ainda hoje, o mesmo Comitê pediu ao governo iraniano para acabar com a incitação ao ódio e discriminação feita por certos dirigentes contra grupos minoritários naquele país, como os azeries e curdos.