Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Junho de 2021

Sidrolandia

Governador reafirma compromisso com grupo chinês para instalação de empresa esmagadora de milho

O governo do Estado e o grupo firmaram parceria em abril deste ano, para a instalação de uma unidade de processamento de milho, com investimentos previstos de US$ 320 milhões.

Notícias MS

28 de Agosto de 2013 - 13:11

O governador André Puccinelli reafirmou na manhã de hoje (28), durante encontro com empresários da indústria chinesa BBCA, seu compromisso com a implantação de uma empresa do grupo no município de Maracaju. O governo do Estado e o grupo firmaram parceria em abril deste ano, para a instalação de uma unidade de processamento de milho, com investimentos previstos de US$ 320 milhões.

Durante o encontro o grupo apresentou ao governador o andamento do projeto de instalação da indústria e falaram sobre a possibilidade de instalação de uma indústria no município de Porto Murtinho, que seria uma esmagadora de soja, o que para o governador André Puccinelli é uma grande oportunidade para consolidar a logística no Estado.

“Mato Grosso do Sul a médio e longo prazo terá a melhor logística com os portos da Ásia”, disse durante a explanação ao grupo sobre os trabalhos logísticos que estão sendo realizados em MS.

De acordo com a secretária de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Correa da Costa, a indústria esmagadora de soja por enquanto está em estudo e surgiu das diversas visitas do grupo BBCA ao Estado.

“A ideia com a esmagadora de soja é exportar o farelo processado e óleo de soja para a China. Com certeza Porto Murtinho tem um porto importante para MS e com essa perspectiva daremos uma movimentação diferente para o rio Paraguai. Vamos poder tirar muitos produtos importantes para o nosso Estado”.

Com relação ao andamento da instalação da indústria de milho em Maracaju, Tereza contou que a conversa vem sendo realizada há quatro anos, desde a primeira visita realizada à China. “Finalmente estamos batendo o martelo para o processamento de milho em Maracaju. Inicialmente era um projeto para 600 mil toneladas de esmagamento, mas o que nos agrada mais não é só o processamento do milho para farelo e óleo, mas também a parte de química fina, de onde sairão o ácido cítrico, a lisina e uma série de produtos químicos de alto valor agregado provenientes do milho”.

Segundo o presidente do grupo BBCA no Brasil, Ignácio Moraes Júnior, a escolha pelo município de Maracaju foi por uma questão logística. “A 150 km de raio do município tem-se a maior produção de milho do País. Os investimentos já foram liberados pelo banco da China e serão gerados cerca mil empregos, a produção de milho no Brasil aumentará por volta de 20%, em uma média de 208 mil hectares de milho e tudo isso produzirá acido cítrico, lisina, açúcar de amido. Trata-se de um grande projeto para nós brasileiros”, disse.

Com relação à futura  indústria a ser instalada em Porto Murtinho, Moraes disse que também foi escolhida pela logística. “Porto Murtinho une os rios Paraná e Paraguai e o objetivo era fazer por balsa a exportação pelo Uruguai. Nossos projetos envolvem bastante a logística, pois no Brasil essa questão é muito cara”, enfatizou.

A BBCA é a maior estatal chinesa na produção de ácido cítrico, que detém 20% do mercado mundial, além da produção de vitaminas A, B, C e E. Em Maracaju o terreno já foi escolhido em parceria com o Imasul e as partes escriturais estão em trâmite. O objetivo é começar as obras em janeiro de 2014.Também estiveram presentes na reunião o presidente da BBCA Group em Shangai, Li Roger Jie; o chefe  do Instituto de Meio Ambiente de MS (Imasul), Sérgio Yonamine e representantes da Secretaria de Estado de Fazenda.