Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Governo Federal destinará R$ 11 bilhões para a implantação de ferrovia em MS

A Ferrovia EF-267 é umas das priorizadas pelo Governo Federal e ligará a região do Bolsão e da Grande Dourados, no Mato Grosso do Sul, aos municípios de São Paulo

Assessoria

16 de Agosto de 2013 - 14:56

Mato Grosso do Sul terá investimento de R$ 11 bilhões para a ampliação de 1.6 mil quilômetros de ferrovia nos próximos anos. O anúncio foi feito hoje (16/8) pelo presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, durante a audiência pública "Ferrovia EF-267: Integração e Desenvolvimento para Mato Grosso do Sul", realizada pela Assembleia Legislativa em parceria com o Senado Federal. Os recursos são oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2), do Governo Federal.

A Ferrovia EF-267 é umas das priorizadas pelo Governo Federal e ligará a região do Bolsão e da Grande Dourados, no Mato Grosso do Sul, aos municípios de São Paulo. Os trilhos passarão por Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Bataguassu, Nova Andradina, Angélica, Deodápolis, Dourados e Maracaju, com ramais integrados à malha ferroviária do Paraná, permitindo o escoamento da produção pelo município de Mundo Novo para Guaíra, Cascavel, Guarapuava, Irati, Iguaçu e Paranaguá, onde está localizado um dos mais importantes portos do Brasil.

Segundo Bernardo Figueiredo, o edital para a licitação da obra será lançado ainda este ano. “Já finalizamos praticamente todos os estudos. O edital será publicado no máximo até outubro e a contratação da empresa até dezembro. A EPL está desde o ano passado discutindo com o Ibama os licenciamentos para que tudo seja feito dentro da lei. Queremos iniciar essa obra até 2014 e concluí-la no máximo em cinco anos”, esclareceu.

Durante a audiência Bernardo Figueiredo disse que várias reuniões já foram realizadas com diversos segmentos da sociedade para debater a implantação da ferrovia. “Faltava pensar uma malha viária para o Brasil e essa decisão foi tomada pela presidenta Dilma Roussef. Esse novo modelo de malha viária colocará aqui em Mato Grosso do Sul um trem para mandar produtos do Estado para todo o País, isso tudo com eficiência. Esse trem, inclusive, poderá transportar passageiros e essa será uma nova possibilidade de serviço que pode ser explorado com a instalação da ferrovia”, comentou.

O presidente da Empresa de Planejamento e Logística disse, ainda, que atualmente a maior parte do transporte no Brasil é feita pelas rodovias, mas que esse meio de transporte não é mais viável. “Não é sustentável transportar carga em longa distancia por caminhão. Hoje 95% dos produtos são transportados em caminhões, em uma frota com idade média de 18 anos, e em estradas congestionadas. Precisamos fazer o transporte das mercadorias por trem, que será mais barato e viável”, ressaltou.

Conforme o presidente, a vinda da ferrovia para Mato Grosso do Sul vai aumentar o espaço do Estado no cenário nacional econômico. “A ferrovia está sendo programada conforme o desenvolvimento regional. Temos que criar uma espinha dorsal para enviar os produtos de Mato Grosso do Sul para todo o País. Vamos melhorar o sistema ferroviário com bitola de 1.6, a mais moderna, e que vai possibilitar uma maior velocidade do trem”, finalizou.

O deputado estadual Laerte Tetila classificou o investimento como um marco para o desenvolvimento do Mato Grosso do Sul. “O trajeto da ferrovia vai promover o crescimento da Grande Dourados, da região do Bolsão e de todo o Mato Grosso do Sul. Esse assunto desperta o anseio da população, dos produtores, do setor da indústria, dos prefeitos e diversos segmentos, pois vai integrar nossa economia com outros mercados e inaugurar um marco no desenvolvimento do Estado”, afirma Tetila.

Para o deputado estadual Amarildo Cruz, que presidiu a audiência, a reunião em Campo Grande com a presença do Bernardo Figueiredo. “A vinda do presidente da EPL a Mato Grosso do Sul mostra que o Governo Federal está executando o projeto original da ferrovia. A ampliação dessa malha viária vai possibilitar o escoamento de diversos produtos do Estado para todo o País. Defendo também a realização de audiências públicas em todos os municípios por onde passar o trajeto da ferrovia”, disse.

Já o senador Delcídio do Amaral parabenizou Bernardo Figueiredo pelos seus esclarecimentos durante a audiência. “Quero agradecer a sua presença em nosso evento. Sei que o senhor se empenhou ao máximo para manter o trajeto original da ferrovia. Sabemos que tinha muita gente querendo puxar a brasa para a sua sardinha, mas o senhor sempre recebeu a bancada federal do Estado que lutou pela permanência da ferrovia em MS. A ampliação dela vai possibilitar colocar Mato Grosso do Sul ainda mais no cenário nacional das grandes potencias brasileiras”, finalizou.