Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Sidrolandia

Greve de caminhoneiros deixa postos em Sidrolândia sem gasolina

Os motoristas que têm carros flex estão optando pelo álcool para escapar do desabastecimento

Flávio Paes/Região News

26 de Julho de 2012 - 08:45

Os três postos de combustível de Sidrolândia que são revendedoras da Petrobrás, Vacaria, Pé de Cedro e São Bento, estão sem gasolina, reflexo da greve dos caminhoneiros das empresas que prestam serviço à BR- Distribuidora. No Posto Martinelli situado na saída para Maracaju, revendedor da Rede Taurus, e no Posto Nossa Senhora da Abadia na Rua João Márcio Ferreira Terra esquina da Rua São Paulo, revendedor Ipiranga, há gasolina. O fornecimento de álcool e diesel é normal.

Os motoristas que têm carros flex estão optando pelo álcool para escapar do desabastecimento. Com medo de ficar na rua, a comerciante Rose Pires, 40 anos, teve que deixar o próprio carro em casa e pegar o do filho emprestado, que é flex. “O meu estava na reserva, daí preferi não arriscar”, confessa.

Acostumada a abastecer com etanol mesmo, o receio da corretora Marly Marçal, 40 anos, é com o preço da gasolina. “Fico preocupada de a gasolina ficar escassa e o preço ir às alturas”, diz.

Segundo o diretor de comunicação do Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis de Mato Grosso do Sul), Marcos Vilalba, embora o problema seja com a BR Distribuidora, que atende 70% dos 500 postos de Mato Grosso do Sul, os postos de outras bandeiras acabam não dando conta da demanda de clientes.

Em nota, a Petrobras Distribuidora informou que está mobilizando todos os recursos logísticos para normalizar a oferta de gasolina e diesel à rede de postos com bandeira BR no Mato Grosso do Sul.

Ontem a BR distribuirá, segundo a assessoria de imprensa, entregou cerca de 900 mil litros de gasolina, cerca de 30% acima da média diária normal, e 1,3 milhão de litros de diesel. A BR informa ainda que cerca de mil litros de gasolina está sendo transferidos do pólo de Paulínia (SP) e mais 1.250 mil litros de Araucária (PR), por via rodoviária.