Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Sidrolandia

Harfouche critica liberação das drogas e defende políticas públicas para tratar dependentes

Precisamos endurecer as leis e a responsabilidade para o usuário. Não dá para ir à onda do Uruguai sem debater muito bem o assunto”, defendeu.

Flávio Paes/Região News

12 de Novembro de 2014 - 10:25

Conhecido por sua cruzada contra a liberação do consumo de drogas (ainda que para fins medicinais), o presidente do Conselho Estadual Contra as Drogas, promotor Sérgio Harfouche, que veio na terça-feira a Sidrolândia prestigiar o lançamento do Conselho Municipal, cobrou políticas públicas que ajudem na recuperação dos dependentes químicos e usuários de drogas.

“Está é uma questão de saúde pública”, observou Harfouche, que reconhece  a falta de estrutura dos CAPS (Centro de Atenção Pissocial). O representante do Ministério Público também defende mudanças na legislação para tornar coercitivo o tratamento. “Hoje não há nenhum constrangimento legal para o consumo. A recuperação depende da disposição do usuário de ir pelo menos três vezes ao CAPS, voluntariamente, para se submeter ao tratamento”, observa.

Harfouche está convencido de que a dependência química não é uma escolha de vida, porque pode levar a morte, daí se posicionar de forma radical  contra qualquer proposta de legalização das drogas. “A liberação é uma atitude de egoísmo sem precedentes. “Precisamos endurecer as leis e a responsabilidade para o usuário. Não dá para ir à onda do Uruguai sem debater muito bem o assunto”, defendeu.

Confira os principais trechos do pronunciamento do presidente do Conselho Estadual contra as Drogas feito ontem na Câmara Municipal.