Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 18 de Abril de 2021

Sidrolandia

Igreja Católica celebra tradicional missa em cerimonia de Finados no São Sebastião

A cerimônia reuniu fieis, familiares e visitantes, em uma mistura de fé e saudade.

Marcos Tomé/Região News

02 de Novembro de 2014 - 21:37

O feriado do Dia de Finados em Sidrolândia foi comemorado com uma cerimônia tradicional da Igreja Católica que atraiu mais de 1500 pessoas para o Cemitério Municipal São Sebastião. A Santa Missa foi presidida pelo Frei Nereu Todescato, pároco da cidade, que relembrou o nascimento e morte como fundamento da vida humana.

A cerimônia reuniu fieis, familiares e visitantes, em uma mistura de fé e saudade. Aplausos, flores e velas aos que já se foram, foram acesas. Estima-se que mais de 5 mil pessoas passaram pelo Cemitério. A festa cristã que recorda todos aqueles que faleceram, também chamada de festa da esperança, foi organizada pela Paroquia Nossa Senhora da Abadia.

Igreja Católica celebra tradicional missa em cerimonia de Finados no São SebastiãoAntes da celebração, o sacerdote conduziu um momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento. Com orações, velas e até lágrimas, as famílias fizeram as homenagens aos parentes e amigos em Sidrolândia. Na visitação aos túmulos, com a tradicional queima de velas e ornamentação temática, a repetição de uma cena comum marca o ritual da veneração póstuma: pessoas choram e são consolodas por outras.

Os donos de bancas de comida, velas, flores artificiais, capelas, cruzes e arranjos funerários, entre outros produtos vendidos no portão de acesso ao São Sebastião, consideraram o movimento registrado durante todo o dia positivo. A movimentação mais intensa foi registrada entre as 9 e 10 horas da manhã.

História do Dia de Finados

O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca. É celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, a vida cristã é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.

Desde o século 1º, os cristãos rezam pelos falecidos; costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século 4º, já encontramos a Memória dos Mortos na celebração da missa. Desde o século 5º, a Igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais, ninguém se lembrava.

Desde o século XI, os Papas Silvestre II (1009), João XVIII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia por ano aos mortos. Desde o século XIII, esse dia anual por todos os mortos é comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro é a festa de "Todos os Santos".

O Dia de Todos os Santos celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O Dia de Todos os Mortos celebra todos os que morreram e não são lembrados na oração.