Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 21 de Abril de 2024

Sidrolandia

Ilsinho tenta atrair para o PSB bases de vereadores do PDT

Flávio Paes/Região News

12 de Julho de 2011 - 08:45

Ilsinho tenta atrair para o PSB bases de vereadores do PDT
Ilsinho tenta atrair para o PSB bases de vereadores do PDT - Foto: Marcos Tom

As investidas do vice-prefeito Ilson Fernandes Barbosa, tentando atrair para seu novo partido, o PSB, lideranças de legendas que apoiaram a reeleição do prefeito Daltro Fiúza ameaça provocar uma crise entre aliados da atual administração, colocando em risco a unidade dos partidos dispostos a se articular para viabilizar um candidato de consenso para enfrentar o ex-prefeito Enelvo Felini.

O alerta foi dado ao prefeito pelo vereador Antônio Galdino, do PDT que junto com o seu colega de bancada, Waldemar Acosta, é um dos mais prejudicados pelas articulações neo-socialistas de Ilsinho, que estaria assediando também filiados do DEM, partido que tem como presidente municipal, um assessor direto do prefeito, Alcione Martins. 

Ilsinho conseguiu atrair para o PSB Givanildo Dias, que é irmão do vereador Antônio Galdino. Uma das lideranças da Aldeia Córrego do Meio que apoiavam o pedetista, Agenor Honorato, já foi convidada pelo vice-prefeito a trocar o PT pela legenda socialista. “Não será desta forma que vamos construir uma aliança política, prejudicando potenciais aliados. O adversário a ser derrotado é filiado ao PSDB”, desabafou o vereador. 

Galdino considera legitimo o interesse do vice-prefeito de se viabilizar em seu novo projeto partidário, só não aceita que Ilsinho se concentre em minar as bases de partidos já aliados com a atual administração. “Temos que trazer para o nosso lado quem possa agregar forças, evitando que fortaleça o adversário”, observou.

O vereador Waldemar Acosta afirmou a reportagem que está descontente com a forma de atuação do vice-prefeito e que deverá discutir o assunto com o prefeito e o próprio Ilsinho, que por sinal, o apoiou na disputa pela vaga da Câmara em 2008. O vice-prefeito estaria oferecendo a legenda do PSB para que lideranças da zona rural tentem uma vaga no Legislativo ao invés de apoiar a reeleição de Waldemar Acosta.