Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Implantação da Polícia Mirin ganha força com apoio do Deputado Cabo Almi

O projeto não se filia a nenhuma corrente religiosa, ideológica ou política e não está organizado em nenhuma estrutura rígida de comando

Marcos Tomé/Região News

19 de Abril de 2011 - 10:37

Implantação da Polícia Mirin ganha força com apoio do Deputado Cabo Almi
Implanta - Foto: Marcos Tom

O Deputado Estadual Cabo Almi (PT), acompanhado do vereador Jean Nazareth manteve agenda com o comando interino da Policia Militar de Sidrolândia, subtenente Laudelino Gonçalves dos Santos, onde na ocasião, tomou nota do projeto “Policia Mirin” que deverá ser implantado no município.

O Projeto será coordenado por policiais militares voluntários e tem como objetivo, formar crianças e adolescente capazes de interagir conscientemente na sociedade provocando mudanças significativas em sua vida e, por conseguinte em seu meio social, dando aos mesmos, ensino técnico profissionalizante e encaminhamento ao mercado de trabalho.

Com a finalidade de auxiliar ao jovem de 12 a 17 anos. Dentre os principais pontos destacam-se a colocação no mercado de trabalho, embasada na lei do menor aprendiz, o projeto pré-profissionalizante, e a complementação educacional, tornando-se um agente importante na formação moral, profissional e ética dos assistidos.

O projeto não se filia a nenhuma corrente religiosa, ideológica ou política e não está organizado em nenhuma estrutura rígida de comando. A iniciativa de instalação do projeto se deu após conversa entre o presidente da Câmara, Jean Nazareth e o subtenente Laudelino.

O vereador solicitou recentemente em plenário a instalação do projeto e buscou parceria com o deputado estadual, Cabo Almi, para viabilizar a instalação. Segundo Laudelino, a proposta foi encaminhada ao Prefeito Daltro Fiuza que disponibilizou a cedência do espaço físico e material didático para a implantação do projeto.

Provavelmente a “Policia Mirin” seja abrigada no PETI, sediado no Bairro São Bento. A próxima etapa é viabilizar a estrutura funcional para o programa tais como: computadores, professores para dar aula de reforço escolar, uniformes, apoio logístico, material de expediente e outros.

“Nosso principal objetivo é tirar das ruas os jovens, que por falta de ocupação, acabam ficando ociosos e cometem pequenos delitos pala cidade e formam pequenos grupos, denominados de gangues”, finaliza Jean.