Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 1 de Dezembro de 2020

Sidrolandia

Jovem vítima de espancamento em Salvador volta para Campo Grande

No Aeroporto Internacional, onde estavam por volta de cinquenta pessoas, entre amigos e familiares com cartazes

Midiamax

03 de Novembro de 2012 - 10:30

A estudante Joevellyn Agata, 18, que ficou 17 dias em estado grave no hospital do Subúrbio, em Salvador (BA), vítima de espancamento, chegou por volta de 22h20 em Campo Grande.

No Aeroporto Internacional, onde estavam por volta de cinquenta pessoas, entre amigos e familiares com cartazes, Joevellyn chegou a uma cadeira de rodas, aparentemente debilitada por conta do seu estado de saúde, porém recebida com muito carinho.

A família conversou com a imprensa e pediu que respeitassem o momento que a estudante passa. De acordo com Renê José Tambose, 57, padrasto da jovem, toda a família estava ansiosa com a volta de Joevellyn.

“Agora é continuar o tratamento dela. O grande erro foi ela ter ido para uma cidade que nem ela conhece nada nem ninguém”, disse a mãe Helaine Freitas de 43 anos.

“Conheço a Joevellyn há quatro anos, ela é muito alegre, ver ela nesse estado é muito triste”, comentou a estudante Luana Kanashiro de 20 anos.

Caso

A jovem campo-grandense viajou no dia 12 de outubro, com o intuito de conhecer uma amiga virtual, e, três dias após ligar para família, no dia 13, foi encontrada espancada em um matagal da região da periferia no dia 16 do mesmo mês.

Joevellyn ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Subúrbio.

Desde então, a rotina da família foi alterada mãe, pai irmão, tia e avô de Joevellyn foram para Salvador.

A família da jovem ficou sabendo no dia 15 de outubro, quando eles foram informados, por telefone, de que ela estava desaparecida. O contato foi feito por Jezebel, de 21 anos, que conheceu Joevellyn pela internet, e, a hospedou em Salvador.

Em um primeiro momento, as suspeitas eram de que a amiga Jezebel e o marido teriam feito algo com o jovem, já que houve uma briga entre elas. Porém, após a oitiva do casal, foi descoberto que ela esteve em diversos outros locais.

A jovem vítima prestou depoimento a Polícia Civil nesta quinta-feira (1), após a melhora. A intenção é esclarecer o que aconteceu depois que ela saiu da casa da amiga Jezebel, depois na noite do dia 13.

No último contato também no dia 13, ela disse à família que o bairro São Cristóvão onde estava, não era o que ela esperava, estava bem e telefonaria de volta.

Nesse dia, ela teria ido a dois bares e convidada a participar de uma festa. Somente no dia 16, foi encontrada em um matagal desacordada e com marcas de agressão.

Ao Midiamax, a assessoria de comunicação da Polícia Civil da Bahia informou que não será divulgado detalhes do depoimento da vítima.

“Só posso dizer que ela não acrescentou em nada nas investigações policiais. Tudo o que ela falou já tinha sido apurado em diligências, mas vamos aguardar para falar com ela novamente, principalmente porque ela pode estar passando por uma confusão mental”, disse a assessoria. 

Na última semana, informações diversas deram conta da suspeita de quatro pessoas. “Todos eles estão sendo procurados”, concluiu a assessoria.