Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Sidrolandia

Linha de crédito do BNDES vai garantir mais infraestrutura e produção

Dourados News

23 de Junho de 2012 - 08:42

Durante a solenidade de entrega de casas no Portal Caiobá, o governador André Puccinelli afirmou que os recursos referentes à linha de crédito de R$ 20 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aos estados vai garantir mais infraestrutura e desta forma mais produção. Os investimentos foram anunciados na última sexta-feira (15) pela presidente Dilma Roussef, em Brasília.

De acordo com André, a presidente convocou todos os governadores entendendo que o momento é de possível desaquecimento da economia, e desta forma estimular o consumo com queda de juros, alongamento das prestações e um crédito mais abundante. “Como os governos municipais e estaduais estão sufocados pela queda e também da arrecadação, ela propôs empréstimos a municípios e estados com juros menores, para que façamos obras públicas de infraestrutura e que incorporem áreas de produção e desta forma, produzindo mais, teremos mais vendas e tributos”, comentou.

O governador acredita ainda que o volume de recursos para cada estado deverá ser definido no próximo mês. “Para o próximo mês nós acreditamos que tenhamos o volume definido e também a quantidade de cada estado na proporção de seu tamanho, de sua gente. Provavelmente assinaremos contrato entre o fim deste ano e inicio de 2013 para as obras iniciarem imediatamente”, afirmou Puccinelli. O Pró-Investe vai garantir recursos para os 27 estados e terá prazo final de assinatura de contrato em 31 de janeiro de 2013.

Conforme o governador, a presidente propôs o montante com prazo de pagamento de 20 anos e carência de um ano. “Vários governadores solicitaram que a carência aumentasse e os juros fossem um pouco mais baixo porque são 8,1% para quem não tem garantia para oferecer e para Mato Grosso do Sul que está mais sólido na sua economia e tem garantia para oferecer será um total de 7,1%”, informou.

Projetos

O Governo de Mato Grosso do Sul já tem elaborados os projetos na área de infraestrutura que possibilitam utilizar a linha de crédito do BNDES. Em entrevista aos jornalistas na última sexta-feira (15), em Brasília, o governador informou que o estado já conta com um pacote de projetos para colocar definitivamente, as ferrovias no PAC; o projeto executivo pronto para a BR-419, entre Aquidauana e Rio Verde. “Temos outros projetos. Este investimento de R$ 20 bilhões, se realmente eles forem rápidos, eficientes (o Governo federal), poderão ser uma mola de desenvolvimento para os Estados”, destacou Puccinelli.

O governador reforçou que as prioridades serão a Ferrovia ligando Maracaju, Dourados, Mundo Novo e Cascavel (no Estado do Paraná), no valor estimado entre R$ 1,5 bilhão e 1,7 bilhão; a pavimentação da BR-419, no valor de R$ 350 milhões; e a Ferrovia que sai de Estrela D´Oeste (São Paulo), passando por Aparecida do Taboado, Três Lagoas até Dourados, no valor estimado de R$ 2 bilhões.

Durante o anúncio da linha de crédito do BNDES na última sexta, o ministro da Fazenda, Guido Mantega divulgou em coletiva serão anunciados o critério de divisão dos recursos, porém o governador afirmou que a proposta que teve maior aceitação foi a de que “50% dos R$ 20 bilhões sejam divididos equitativamente e o restante pelo critério do FPE (Fundo de Participação dos Estados)”. André informou ainda que os investimentos podem ser feitos em quaisquer setores de infraestrutura, de rodovias, de hidrovias, de ferrovias, construção de casas e aquisição de máquinas.

Mais projetos

Além da linha de crédito de R$ 20 bilhões, o governo do Estado já tem no BNDES, em estágio adiantado, a análise de projeto no valor total de R$ 801 milhões – R$ 675 milhões da instituição financeira e R$ 131 milhões de contrapartida estadual – para atender várias obras, como a construção do Hospital de Três Lagoas; do Hospital Escola da Faculdade de Medicina em Campo Grande, da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e construção e pavimentação de rodovias. “Esse é um pacote a mais, esse é um complemento a mais. É uma coisa distinta (da linha de crédito anunciada ontem)”, ressaltou Puccinelli.