Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Sidrolandia

Marcelo diz que cortou verba do transporte porque escolheu cuidar da rede municipal

O prefeito diz que fez a “escolha” de cuidar “daquilo que for obrigação constitucional do município”.

Flávio Paes/Região News

23 de Janeiro de 2017 - 13:29

O prefeito Marcelo Ascoli, no pronunciamento que fez aos estudantes presentes à reunião deste domingo de manhã na Câmara, foi enfático ao dizer que não há espaço para rediscutir sua decisão de reduzir de R$ 160 para R$ 100 mil a subvenção mensal do transporte universitário, representando um corte de 37,5% sobre os repasses de 2016.

“É um programa interessante, mas que precisa ser tocado com responsabilidade. Seria muito bom se pudéssemos oferecer a gratuidade como era até 2012. O senhor Ari, já teve de promover mudanças e sofreu desgaste. A realidade atual das finanças do município não nos permite ir além, sem que isto gere descontentamento. Aqueles que não pagavam nada, certamente, não gostarão de perder o benefício”, argumentou.

O prefeito diz que fez a “escolha” de cuidar “daquilo que for obrigação constitucional do município”. No caso da educação, sua prioridade são escolas e centros municipais de educação infantil, que precisam passar por reforma. Em 2016, foram gastos R$ 1,9 milhão com o transporte e a bolsa universitário, enquanto a manutenção da rede ficou com R$ 2,9 milhões.

Marcelo não deixou claro que formato será adotado para os programas. Pelas contas do presidente da Câmara, Jean Nazareth, com R$ 1 milhão por mês, será possível custear as despesas de 7,4 ônibus, considerando que cada ônibus (com capacidade para transportar 44 alunos) custa R$ 13.640,00 por mês.

Os alunos teriam de complementar a verba arcando com as despesas de 5,5 ônibus, uma despesa de R$ 75.020,00, que dividida entre 600 alunos (que seria o total de acadêmicos atendidos, incluindo 50 pagantes) daria R$ 125,03 por aluno.