Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 1 de Dezembro de 2020

Sidrolandia

Marina Silva é líder isolada em SP e no DF, mostra Ibope

Marina aparece numericamente em primeiro lugar em Pernambuco e no Paraná. Nos dois casos, em situação de empate técnico com a presidente Dilma Rousseff.

Conjuntura On-line

29 de Agosto de 2014 - 09:17

A última leva de pesquisas regionais do Ibope mostra que, nas simulações de primeiro turno para a Presidência, Marina Silva (PSB) é líder isolada em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país, e no Distrito Federal. Além disso, ela aparece numericamente em primeiro lugar em Pernambuco e no Paraná. Nos dois casos, em situação de empate técnico com a presidente Dilma Rousseff.

Entre os paulistas (22% do eleitorado), a ex-ministra teria 35% dos votos, diz o instituto. São 29 pontos a mais do que Eduardo Campos conseguia no Estado um mês antes. Marina inscreveu-se como cabeça de chapa do PSB no lugar de Campos, após a morte do ex-governador de Pernambuco num acidente aéreo, no último dia 13.

A substituição abalou Dilma e Aécio de forma parecida em São Paulo. A petista caiu de 30% para 23%. O tucano recuou de 25% para 19% (confira no quadro ao lado). No Distrito Federal, colégio pequeno, mas com perfil mais rico e escolarizado, os percentuais são parecidos. Entre os dias 23 e 25, o Ibope apurou Marina com 35%, Dilma com 20% e Aécio com 18%.

A disputa entre as ex-ministras de Lula aparece mais equilibrada em Pernambuco e no Paraná. No Estado de Campos, onde a comoção com a morte dele foi maior, os percentuais foram invertidos. Dilma liderava com 41%, empatada com Campos (37%). Agora é Marina quem tem 41%, contra 37% de Dilma. O fraco desempenho de Aécio em Pernambuco chama a atenção: ele recuou para 3%.

Entre os sete Estados recém-pesquisados pelo Ibope, o Paraná é palco da disputa mais acirrada. A única pesquisa local registrada para divulgação foi feita entre os dias 21 e 23. Com três pontos de margem de erro, Marina, Dilma e Aécio estão tecnicamente empatados com 29%, 28% e 24%, respectivamente.

 

REELEIÇÃO

A entrada de Marina na disputa não provocou alterações relevantes nas intenções de voto em Dilma em pelo menos três dos maiores colégios eleitorais: Rio de Janeiro, Bahia e Minas Gerais.

O Rio é um caso especialmente curioso. Embora Marinha tenha largado com 30% (25 pontos a mais que Campos), as intenções de voto na petista oscilaram para cima desde julho: de 35% para 38%. Na Bahia, Dilma mantém a liderança folgada, mesmo com o novo cenário. Se a eleição fosse só entre o eleitorado baiano, a petista seria reeleita no primeiro turno.

Minas, por sua vez, transformou-se num dos principais exemplos das dificuldades de Aécio, ex-governador do Estado, que esperava vencer na região por larga vantagem. A candidatura de Marina não abalou o desempenho de Dilma em Minas. Ela mantém-se com 31%. Aécio, porém, perdeu sete pontos. Com isso, ele ainda lidera, só que agora em empate técnico com a petista.