Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 13 de Junho de 2024

Sidrolandia

Mesmo em greve, efetivo da PF "entra" na fronteira para destruir plantações de droga

Midia Max

20 de Agosto de 2012 - 15:55

Parte do efetivo da Polícia Federal que continua em regime de plantão na região de fronteira, entrou no território de outros países, como Peru e Paraguai, para destruir plantações de maconha e da folha de coca, matéria-prima da cocaína e do crack.

De acordo com a assessoria de comunicação da PF em Ponta Porã, as ações de combate ao tráfico de drogas são semelhantes à operação Aliança, realizada de maneira aleatória por policiais federais de Mato Grosso do Sul e agentes do Paraguai. “Agora são eles que coordenam as ações e convocam policiais daqui para destruírem plantações de droga”.

Primeiro é feito uma cooperação entre os países vizinhos. “É feito um termo entre os países para erradicar a maconha, por exemplo. Aí os policiais federais são convocados e as delegacias cedem helicópteros, equipamentos e carros para a realização da operação”, comenta a assessoria.

A cinco anos, de acordo com a categoria, foi identificado que a estratégia dos bandidos é plantar a droga cada vez mais perto da fronteira, para facilitar a entrada no país. E logo depois teve início à troca de informações sobre traficantes entre os países vizinhos.

Em entrevista, o diretor de Combate ao Crime Organizado da PF, delegado Oslain Santana, disse que “erradicar as plantações é mais eficiente do que simplesmente apreender a carga. Esses pés estão próximos à fronteira com o Brasil, ou seja, vão abastecer o mercado brasileiro", disse.

Com relação à greve, sem avanço nas negociações com o governo, a categoria garante que permanece de braços cruzados até a quarta-feira (22), quando uma nova assembleia será realizada na superintendência regional da Polícia Federal. “Cerca de 280 policiais federais continuam parados em Mato Grosso do Sul”, avalia o presidente da Sinpef/MS (Sindicato dos Policiais Federais do Estado), Jorge Caldas.