Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Mosca do estábulo: ""Invasão"" será discutida em audiência pública

A mosca-de-estábulo suga o sangue de animais, especialmente de cavalos, causando-lhes feridas nas orelhas e transmitindo doenças

Em Foco MS

10 de Setembro de 2014 - 07:08

A Câmara de Vereadores de Fátima do Sul realizará nesta quarta feira (10), às 19h, audiência pública para tratar de um problema enfrentado pelos produtores dos municípios de Fátima do Sul e Vicentina, ou seja, a infestação a três meses da “mosca do estábulo”.

A mosca-de-estábulo suga o sangue de animais, especialmente de cavalos, causando-lhes feridas nas orelhas e transmitindo doenças. Como a região de Fátima do Sul possui várias usinas de açúcar e álcool, a infestação deste inseto é grande, com muitas reclamações dos sitiantes.

Segundo o site, que divulgou reportagem a respeito, o problema foi constado em 12 propriedades visitadas e os sitiantes mostraram-se preocupados com a situação.

O vereador Luiz Cordeiro, que coordenará a audiência pública, informou que já distribuiu convites para o Ministério Público, prefeito, secretários municipais, diretores de usinas, advogado do Sindicato Rural de Nova Alvorada. Disse que estará presente também Milton Barbosa, de Nova Alvorada, que é desenvolve estudo sobre a mosca-de-estábulo.

Desespero

Segundo o site, o produtor Nivaldo do Nascimento Lopes, que tem 6 ha, disse que há 20 anos está trabalhando em sua propriedade e nunca tinha enfrentado problema semelhante. Afirmou que a mosca ataca sem piedade as pessoas e a sua criação (gado, cavalo, cachorro), já ocorrendo morte de um animal. Disse que os hematomas que se formam com as picadas "são grandes rodas em vários pontos do corpo humano, o gado fica doente e morre de inanição".