Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Sidrolandia

MS é um dos estados com maior índice de tráfico e exploração sexual da mulher

Midia Max

20 de Junho de 2012 - 15:44

Mato Grosso do Sul é um dos estados mais vulneráveis quando se fala de tráfico e exploração sexual, segundo Pesquisa sobre “Tráfico de Mulheres, Crianças e Adolescentes para Fins de Exploração Sexual Comercial no Brasil (Pestraf)”. A prática criminosa, que vitima mais de dois milhões de pessoas no mundo anualmente, em MS ocorre principalmente nas regiões de fronteira com o Paraguai e Bolívia, onde o translado de um país ao outro é fácil.

Para combater o problema, a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Mulher desenvolveu o projeto “Capacitando para o Enfrentamento ao Tráfico e Exploração Sexual de Mulheres”. A ação que começou em 2011 encerra mais uma etapa, nesta quarta-feira (20), com o seminário “Enfrentando o Tráfico e Exploração Sexual de Mulheres”, que acontece das 8h às 18h, no Hotel Grand Park, em Campo Grande, MS.

A subsecretária da Mulher e da Promoção da Cidadania, Tai Loschi, explica que o evento tem como objetivo sensibilizar a sociedade civil para a prevenção, o atendimento às vítimas e a responsabilização dos criminosos. “Pretendemos sensibilizar e informar sobre as especificidades deste tipo de tráfico e promover o enfrentamento a este crime”, comenta.

Cerca de 200 pessoas participaram das palestras nesta manhã. A primeira tratou do tema “Os desafios do atendimento humanizado às vítimas do tráfico de pessoas para fins de exploração sexual”, depois foi falado sobre “Gênero e tráfico de mulheres, vulnerabilidades e desafios”. Ainda aconteceu uma mesa redonda para a discussão dos assuntos abordados.

Tai Loschi explica que após os debates será formatado um documento que vai ser enviado à Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República. “Com os debates vamos fazer o documento que vai para Brasília, a partir dessas discussões que acontecem em nível nacional vamos promover políticas públicas adequadas para enfrentar o problema”, finalizou.

Dados

A Organização Internacional do trabalho estima que, anualmente, aproximadamente um milhão de pessoas são traficadas no mundo com a finalidade de exploração sexual, destas, 98% são mulheres.

As mulheres afrodescendentes, entre 15 e 27 anos, com baixa escolaridade são as principais vítimas.

Os principais aliciadores são homens com mais de 30 anos, ensino médio ou superior, envolvidos em rede de narcotráfico e exploração.

Combate

Em 2006 foi aprovada a Política nacional de Enfrentamento ao tráfico de Pessoas, que traz um conjunto de princípios, diretrizes e ações para atuação do Poder Público nessa área. São três os eixos de atuação: prevenção ao tráfico, repressão ao crime e responsabilização dos autores e atendimento às vítimas.

Rede de Serviços

Disque 100 – Secretaria Especial de Direitos Humanos

Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher