Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 28 de Fevereiro de 2024

Sidrolandia

Na 1ª seleção do PAC, eleição foi pretexto para excluir Sidrolândia que pedia R$ 10,2 milhões

Diante da indefinição sobre quem seria o prefeito da cidade a partir de março, a Caixa Econômica Federal desaconselhou o interino a elaborar os projetos.

Flávio Paes/Região News

02 de Abril de 2013 - 13:25

A eleição suplementar para prefeito que deixou Sidrolândia por 70 dias sob administração interina, eliminou as chances da cidade ser selecionada no início de 2013 para se habilitar ao financiamento de até R$ 10,2 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Como Naviraí, cidade do porte populacional de Sidrolândia, obteve pouco mais de R$ 5 milhões, é possível que a cidade só obtivesse metade da verba pleiteada.

Os recursos garantiriam a retirada do trânsito de caminhões da área central com a abertura de duas avenidas: o prolongamento da Avenida Mato Grosso, ligando a Avenida Aquidaban a MS-060 e a abertura de uma via ligando a Avenida Dorvalino dos Santos (na altura da saída para Maracaju) ao Residencial Sidrolar, nos fundos do Bairro São Bento.

O projeto contempla ainda a pavimentação do Residencial Diva Nantes, da Rua Prudente de Moraes ligando a Avenida Integração a Rua Generoso Ponce, além das ciclovias de acesso aos dois polos industriais da cidade. Em dezembro, a administração do ex-prefeito Daltro Fiuza conseguiu habilitar os projetos no Ministério das Cidades e a partir daí a Prefeitura teria 60 dias para apresentar os projetos executivos, que trazem o detalhamento das obras.

Diante da indefinição sobre quem seria o prefeito da cidade a partir de março, a Caixa Econômica Federal desaconselhou o interino a elaborar os projetos. Nesta etapa do PAC-2 da qual Sidrolândia ficou, houve habilitação de 13 projetos em nove cidades de Mato Grosso do Sul, garantindo investimentos em Campo Grande, Dourados ( R$ 49,91milhões), Aquidauana (R$ 12,79 milhões), Coxim (R$ 19,86 milhões), Maracaju (R$ 10 milhões), Miranda (R$ 4,86 milhões), Naviraí (R$ 5,23 milhões), Nova Andradina ( R$ 8,58 milhões) e Rio Brilhante ( R$ 7,59 milhões). Só no interior do Estado, os investimentos totalizam R$ 118,8 milhões.