Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 25 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Na briga por reajuste, Sindijus quer parar justiça de Mato Grosso do Sul nesta quarta

A entidade acredita que o protesto por melhorias salariais deva atrair a maioria dos 3,2 mil servidores do Judiciário que atuam nas 54 comarcas sul-mato-grossenses.

Midiamax

12 de Abril de 2011 - 17:58

Movimento criado pela Federação Nacional dos Servidores do Judiciário nos Estados, que conta com o apoio do Sindijus-MS (Sindicato dos Servidores do Judiciário) de Mato Grosso do Sul, deve comprometer os trabalhos nos fóruns de MS nesta quarta-feira (13).

A entidade acredita que o protesto por melhorias salariais deva atrair a maioria dos 3,2 mil servidores do Judiciário que atuam nas 54 comarcas sul-mato-grossenses.

De acordo com o sindicato, somente os serviços essenciais devem funcionar no dia do manifesto. É como no período de greve, quando somente 30% do efetivo todo cumprem o expediente.

De acordo com comunicado da assessoria de imprensa do Sindijus, por conta do ato que dura o dia todo, não haverá expediente em Campo Grande nem nas comarcas do interior do Estado, sendo mantido apenas o plantão de atendimento emergencial conforme exigido pela lei de greve.

“A principal reivindicação da categoria é um reajuste digno para repor as perdas inflacionárias dos anos anteriores”, disse o presidente da entidade, Dionízio Gomes Avalhaes.

Outra reivindicação dos trabalhadores é a aprovação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 190/07, que confere ao Supremo Tribunal Federal a criação de um estatuto nacional do Poder Judiciário, que poderá abrir precedente para a unificação salarial.

Questões como o adoecimento dos trabalhadores em função do assédio moral, a revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Salários, o aumento na contrapartida do Tribunal para o plano de saúde e a valorização do trabalhador também são reivindicados, bem como a melhoria do auxílio-alimentação com extensão do benefício aos aposentados.

Além de MS, vários outros estados do País paralisarão as atividades nesta quarta-feira, data definida pela Federação Nacional dos Servidores do Judiciário nos Estados (Fenajud) como Dia Nacional de Luta do Judiciário.

A bandeira comum de luta é a PEC 190/07, mas questões locais dos tribunais de Justiça serão reivindicadas pelos trabalhadores. Em MS, a principal delas é o reajuste de apenas 6%. Hoje pela manhã, contudo, o presidente do TJ-MS, Luiz Carlos Santini, afirmou que o percentual já concedido é o limite previsto no orçamento da corte.

Roteiro do manifesto

A movimentação dos servidores do Judiciário de MS será concentrada em Campo Grande e terá início às 11h no Juizado Central da rua Joaquim Murtinho.

Um ônibus do sindicato com trabalhadores do interior do Estado reunirá os servidores do Juizado e os levará ao Fórum (entrada pela rua Da Paz), onde ocorrerá a primeira fase da manifestação.

De lá, os trabalhadores seguirão em um ônibus até o TJMS para a principal parte do protesto que ocorrerá entre 13h30 e 14h. No local será solicitada reunião com o presidente do Tribunal de Justiça na tentativa de negociar reajuste e melhores condições de trabalho para a categoria. (com informações da assessoria do Sindijus-MS).